Cerca

Vatican News

Bispo de São Carlos convida a conhecer a vida do Venerável Nelson Santana

Nelsinho nasceu em Ibitinga (SP), em 31 de julho de 1955, e morreu em Araraquara (SP), em 24 de dezembro de 1964, vigília de Natal.

Cidade do Vaticano

No último sábado (06/04), o Papa Francisco autorizou a promulgação de alguns decretos, na audiência ao prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Becciu.

Francisco reconheceu o milagre por intercessão do Venerável Servo de Deus Pe. Donizetti Tavares de Lima que será beatificado, e as virtudes heróicas dos Servos de Deus frei Damião de Bozzano e do leigo Nelson Santana, que agora são Veneráveis.

Nesse vídeo de Sidney Prado da Assessoria de Comunicação e Imprensa da Diocese de São Carlos (SP), o bispo dessa diocese, dom Paulo Cezar Costa, convida a conhecer a vida e a história de Nelson Santana, um garoto daquela região que tinha câncer no braço.

Nelson sofreu uma queda que provocou nele um ferimento no ombro esquerdo. Devido às complicações, o braço de Nelson foi amputado. Dos 7 aos 9 anos praticamente morou no hospital e fez lá a sua primeira comunhão. Nelsinho nasceu em Ibitinga (SP), em 31 de julho de 1955, e morreu em Araraquara (SP), em 24 de dezembro de 1964, vigília de Natal.

O Natal no Céu

Um dia ele disse: “Se Jesus quiser, quero passar o Natal no Céu para ajudar meu amigo Jesus a fazer o bem a toda gente aqui na terra. Porque, com um só braço, pouco ou nada posso fazer para ajudar meu pai nos trabalhos da roça. Não sei como é no Céu. Mas, se precisar de um braço, já consigo fazer alguma coisa como, mostrar a Jesus: “Ajuda este aqui! Veja aquele ali! Não deixe de socorrer aquele lá!” E assim por diante. Dessa forma posso ser mais útil, não é mesmo?”

O tempo passou e o mês de dezembro foi chegando. Na véspera de Natal, Nelsinho disse ao padre Rodolfo, seu amigo: “Hoje, ao anoitecer, Jesus vai me levar para o Céu!”

Nelsinho disse ainda ao sacerdote: “Peço a Jesus que abençoe todas as crianças que o senhor encontrar, ainda que for por um só momento, olhar ou pensamento. Que todas elas sejam tocadas por Jesus.”

Depois combinou: “Todos os dias, na hora de sua Santa Missa, após a Consagração, quando pousar Jesus Hóstia sobre o altar, diga com poucas palavras a Jesus o que quer, pois eu estarei bem atento ao lado d’Ele para insistir, com confiança, puxando Sua manga e dizendo: Jesus, atende o pe. Rodolfo! Atende a toda essa gente! Tenho certeza de que não vai falhar.”

Texto, Sidney Prado

Vídeo, padre Robson Caramano

10 abril 2019, 13:53