Cerca

Vatican News
Dom Mascarenhas pede que seja respeitado o sentimento religioso de cerca de 100 mil cristãos Dom Mascarenhas pede que seja respeitado o sentimento religioso de cerca de 100 mil cristãos  (AFP or licensors)

Índia. Cristãos pedem respeito pelas celebrações da Semana Santa

O secretário dos bispos católicos, Dom Mascarenhas, julga particularmente grave a eliminação do feriado oficial do Estado, vez que “na Índia somente duas datas cristãs são reconhecidas pelo diário oficial: o Natal e a Sexta-feira Santa”

Cidade do Vaticano

“Um fato gravíssimo”. Assim comenta à agência missionária AsiaNews o bispo auxiliar de Ranchi e secretário geral da Conferência Episcopal Indiana (Cbci), Dom Theodore Mascarenhas, a decisão tomada por dois Territórios indianos – pela primeira vez na história da Índia – de abolir a Sexta-feira Santa como feriado nacional. A referência é a uma decisão adotada por duas ex-colônias portuguesas de Dadra e Nagar Haveli, e Daman e Diu, situadas na costa ocidental.

Ouça a reportagem!

Discriminação inequívoca contra a minoria cristã

O prelado se diz “muito contristado” e fala de “discriminação inequívoca” dos administradores. Dom Mascarenhas pede a estes que “seja respeitado o sentimento religioso de cerca de 100 mil cristãos. O secretário dos bispos católicos julga particularmente grave a eliminação do feriado oficial do Estado, vez que “na Índia somente duas datas cristãs são reconhecidas pelo diário oficial: o Natal e a Sexta-feira Santa”, explica ele.

Dom  Mascarenhas confia na compreensão de seu pedido por parte da comunidade de maioria hindu: os atos discriminatórios são obra de “poucos fundamentalistas que querem dividir o país”, explica ainda.

Mas em que consiste a nova disposição? As autoridades classificando a celebração de Tipo 1 para tipo 2 estabeleceram que de agora em diante, diferentemente do passado, escolas e repartições públicas permanecerão abertas, obrigando assim os funcionários cristãos que queiram ausentar-se, a pedir férias.

Eleições próximas da Páscoa

A agência missionária ressalta que nos dias próximos da Semana Santa se realizarão as eleições gerais para a escolha do governo e do Congresso indiano (Lok Sabha). Nos dois Territórios o voto está marcado para 23 de abril, terça-feira da Oitava da Páscoa. Numa carta, Dom Mascarenhas uniu sua voz ao apelo dirigido por sacerdotes e líderes religiosos às autoridades a fim de que retirem a modificação.

Bispos do Tamil Nadu: não a eleições na Quinta-feira Santa

Registram-se dificuldades também para os cristãos do estado sul do Tmail Nadu, onde a data das eleições cai em 18 de abril, Quinta-feira Santa. Numa missiva dirigida à Comissão eleitoral da Índia, os bispos locais pedem modificação do dia da convocação às urnas, no respeito aos cristãos de todas as confissões.

O texto assinado pelo presidente do Conselho dos bispos do Tamil Nadu, o arcebispo Antony Pappusamy, ressalta o caráter inoportuno da decisão que penalizará aqueles cristãos que trabalhando no pleito eleitoral se encontrarão impossibilitados de celebrar a Missa da Quinta-feira Santa.

Dom Pappusamy pede que se opte por uma data alternativa. As eleições nacionais na Índia dizem respeito a 900 milhões de cidadãos e se realizarão em sete fases, segundo os vários estados da Federação: 11, 18, 23 e 29 de abril e 6, 12 e 19 de maio. A apuração dos votos será feita em 23 de maio.

18 março 2019, 10:49