Vatican News
Arcebispo de Karachi, no Paquistão, cardeal Joseph Coutts Arcebispo de Karachi, no Paquistão, cardeal Joseph Coutts 

Paquistão. Igrejas em alerta máximo após atentado na Nova Zelândia

O cardeal Joseph Coutts exorta todos os cristãos a “rezar durante este período da Quaresma por todas as vítimas de violência”. A Comissão Justiça e Paz do Paquistão denuncia a “crescente onda de extremismo e radicalização no mundo inteiro”

Cidade do Vaticano

As Igrejas cristãs no Paquistão estão em situação de alerta máximo após os atentados a duas mesquitas de Christchurch, na Nova Zelândia, em que 50 fiéis muçulmanos perderam a vida durante encontro de oração da sexta-feira.

Ouça e compartilhe!

O caráter anti-islâmico do atentado, perpetrado por um supremacista branco, desencadeou a reação dos grupos islâmicos mais radicais e dos jornais locais que culpam a comunidade cristã neozelandesa.

Todavia, o reitor da Catedral do Sagrado Coração de Lahore, no Paquistão, Pe. Inayat Bernard, recorda que o autor do atentado, Branton Tarrant, “não é um cristão, é um ateu”. Segundo o sacerdote, “as vítimas devem ser consideradas mártires”.

Terrorismo não tem religião ou confins nacionais

Por sua vez, o arcebispo paquistanês de Karachi, cardeal Joseph Coutts, exortou todos os cristãos a “condenar o terrível gesto alimentado pelo ódio” e a “rezar durante este período da Quaresma por todas as vítimas de violência”.

A Comissão nacional paquistanesa Justiça e Paz, conduzida pelo arcebispo de Islamabad-Rawalpindi e presidente da Conferência Episcopal do Paquistão, Dom Joseph Arshad, denuncia a “crescente onda de extremismo e radicalização no mundo inteiro, que demonstra que o terrorismo não tem religião ou confins nacionais”.

Preocupação com a segurança comunidade cristã no país

Para o presidente da Comissão ecumênica inter-religiosa da Igreja Presbiteriana, Rev. Amjad Niamat, as igrejas no Paquistão deverão permanecer vigilantes durante as celebrações pascais.

“Estamos unidos contra o terrorismo e,  ao mesmo tempo, preocupados com a segurança da vulnerável comunidade cristã. Pedimos ao governo que adote medidas de proteção para as igrejas nas grandes cidades”, disse ele.

Vigílias inter-religiosas de oração no país inteiro pelas vítimas

A comunidade cristã organizou vigílias inter-religiosas de oração em todo o país pelas vítimas e familiares das mesmas. Entre elas, uma foi organizada em 17 de março em Faisalabad pela Comissão nacional Justiça e Paz, em colaboração com a diocese local. Outras manifestações tiveram lugar em Lahore, na Catedral e durante a coletiva de imprensa com bispos e políticos.

20 março 2019, 16:17