Cerca

Vatican News
"A presença, as palavras, o exemplo do Papa Francisco são para nós um impulso para fazer mais no contexto de África para acompanhar pessoas de diferentes credos a viver em paz e harmonia", diz Dom Method Kilaini "A presença, as palavras, o exemplo do Papa Francisco são para nós um impulso para fazer mais no contexto de África para acompanhar pessoas de diferentes credos a viver em paz e harmonia", diz Dom Method Kilaini  (ANSA)

Dos Emirados, mensagem de paz e harmonia que ajudará a África, diz bispo tanzaniano

O encontro realizado nos Emirados Árabes Unidos "quer dizer a todos os fiéis no mundo que viver a paz é possível, afirma o bispo auxiliar da Diocese de Bukoba, Tanzânia, Method Kilaini. "Esta conferência e a Declaração assinada pelo Papa e pelo Imame Ahmed Al-Tayyeb serão muito úteis no contexto de África, onde grupos fundamentalistas islâmicos estão crescendo."

Cidade do Vaticano

"A grande conferência realizada em Abu Dhabi, com a presença do Papa e do Grão Imame de Al Azhar, foi organizada pelos muçulmanos. Isso demostra que os fiéis do Islã desejam construir a paz e a harmonia no mundo. É uma mensagem que chega em primeiro lugar ao mundo muçulmano, na Ásia, mas também na África". Foi o que afirmou à Agência Fides o bispo auxiliar da Diocese de Bukoba, Tanzânia,  Method Kilaini, que participou da Conferência global da fraternidade humana realizada nos Emirados Árabes Unidos de 3 a 4 de fevereiro.

Ouça e compartilhe!

O bispo observou que "esta conferência e a Declaração assinada pelo Papa e pelo Imame Ahmed Al-Tayyeb serão muito úteis no contexto de África, onde grupos fundamentalistas islâmicos estão crescendo. Isto acontece porque muitos fundamentalistas islâmicos vão para a África, partindo do Oriente Médio e levam aos muçulmanos locais uma mensagem de ódio, discriminação e extremismo".

E acrescenta que  "o que aconteceu nos Emirados Árabes Unidos leva uma poderosa mensagem de paz, harmonia e fraternidade. Diz que os muçulmanos também querem a paz no mundo. A mensagem de fraternidade certamente chegará à Tanzânia e várias partes da África, ajudando as pessoas a desenvolver uma sociedade pacífica".

Este encontro -  diz o bispo - "quer dizer a todos os fiéis no mundo que viver a paz é possível. Nos Emirados Árabes Unidos, há pessoas de diferentes religiões, crenças, culturas e etnias que vivem na unidade sem qualquer tipo de discriminação. Portanto, é possível existir isso também nos países africanos. Como nos recorda o Grão Imame de Al Azhar, nenhuma religião promove o ódio e a discriminação, mas cada religião promove o amor, a paz e a harmonia”.

Dom Kilaini conclui afirmando,  que "a presença, as palavras, o exemplo do Papa Francisco são para nós um impulso para fazer mais no contexto de África para acompanhar pessoas de diferentes credos a viver em paz e harmonia."

(Agência Fides)

 

08 fevereiro 2019, 12:21