Busca

Vatican News
Cardeal George Pell Cardeal George Pell  (AFP or licensors)

Cardeal Pell no cárcere; aguarda sentença prevista para 13 de março

Foi revogada esta quarta-feira (27/02) a liberdade sob caução concedida ao cardeal George Pell, declarado culpado, por um júri, de abusos sexuais contra menores quando era bispo de Melbourne no final dos anos 90. A partir desta quarta-feira o purpurado australiano estará detido numa prisão de Melbourne, à espera da sentença prevista para 13 de março. O cardeal Pell já tinha renunciado a pedir a liberdade.

Cidade do Vaticano

A liberdade sob caução concedida ao cardeal George Pell foi revogada pelo Tribunal Regional de Melbourne, depois que o purpurado renunciou a pedi-la, ao término de uma audiência prévia à sentença de condenação na qual os advogados de ambas as partes apresentaram os argumentos conclusivos.

Ouça a reportagem

A partir desta quarta-feira (27/02) o purpurado australiano estará detido na Prisão Correcional de Melbourne, à espera da sentença prevista para 13 de março próximo. Durante a audiência desta quarta-feira foi confirmado que os cinco delitos dos quais o cardeal foi declarado culpado comportam uma condenação máxima de 10 anos cada um. A liberdade sob caução tinha sido concedida ao cardeal Pell, após sua incriminação em dezembro passado, a fim de que o mesmo pudesse ser submetido a uma intervenção cirúrgica no joelho.

 

O purpurado continua declarando-se inocente e seu advogado recorrerá da sentença. Em recurso – cuja data ainda não foi estabelecida – o cardeal Pell não será ouvido por um júri, mas por um Colégio de três juízes; isso significa que o caso não se concluirá enquanto o recurso impetrado não for examinado e não for tomada uma decisão definitiva.

Para assegurar o percurso da justiça, o Santo Padre confirmou as medidas cautelares já adotadas em relação ao cardeal George Pell pelo Ordinário do lugar quando do retorno do purpurado à Austrália; ou seja, que à espera da averiguação definitiva dos fatos, está proibido ao cardeal Pell, a título de medida cautelar, o exercício público do ministério e, segundo a norma, todo e qualquer tipo de contato com menores de idade.

 

Na terça-feira (26/02), o diretor interino da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, confirmou que o cardeal Pell não é mais o prefeito da Secretaria para a Economia da Santa Sé.

E esta quarta-feira, respondendo aos jornalistas nas Sala de Imprensa vaticana, Gisotti além de reiterar a confirmação precedente, acrescentou que “após a condenação em primeiro grau do purpurado australiano, a Congregação para a Doutrina Fé se ocupará do caso segundo as modalidades e os tempos estabelecidos pela norma canônica”.

27 fevereiro 2019, 11:38