Cerca

Vatican News

Filipinas: milhões de fiéis na procissão do Nazareno Negro

Uma multidão foi às ruas em Manila, para celebrar o Nazareno Negro. Trata-se de uma das maiores procissões religiosas do mundo. Neste ano teve a participação de mais de 1,5 milhão de fiéis que foram às ruas da capital das Filipinas, com a intenção de tocar ou mesmo entrever a imagem. É uma tradição que remonta a 1606

Cidade do Vaticano

Superando as recentes ameaças terroristas de extremistas muçulmanos, mais de 1 milhão de meio de fiéis participaram no dia 9 de janeiro, em Manila (Filipinas) da procissão anual do Nazareno Negro.

Ouça e compartilhe

A procissão, que se repete desde o século XVII, é conhecida como a “translação” e representa o sofrimento que Jesus experimentou quando percorreu o caminho ao Monte Calvário.

Durante o rito a imagem, puxada por cordas, é transportada em um carro sem rodas. Os fiéis tentam ficar o mais próximo possível da esfígie - que é uma réplica de uma imagem de madeira que existe há quatro séculos – subindo uns sobre os outros na esperança de tocá-la.

A procissão começou na madrugada e o percurso foi de três quilômetros até chegar à Basílica de Quiapo, onde está conservada a imagem original, exposta para a veneração durante o dia.

Tradição que remonta a 1606

Esta efígie do Cristo negro ajoelhado e carregando a cruz foi levada pelos missionários Agostinianos Recoletos que foram do México a Manila em 1606. A fama de ser milagrosa deriva do incêndio que destruiu o navio dos missionários, deixando a imagem intacta.

Antes de ser colocada na Igreja de Quiapo, esteve em outros templos católicos. Primeiro na igreja de Bagumbayan, hoje Luneta, nas proximidades de Manila; em 1608 foi transferida para a paróquia de São Nicolau Tolentino, onde ficou até 1700. O então arcebispo da capital, Dom Basilio Sancho Santas Justa, ordenou a transferência definitiva à igreja de Quiapo.

A devoção foi reconhecida pela Santa Sé em 1650, durante o pontificado de Inocêncio X que instituiu canonicamente a Confraria de Jesus Nazareno. Também Pio VII, no século 19, honrou o Nazareno Negro concedendo a indulgência plenária “aos pios devotos”.

 

09 janeiro 2019, 10:10