Cerca

Vatican News
À equerda, o arcebispo de Davao e presidente dos bispos filipinos, Dom Romulo Valles À equerda, o arcebispo de Davao e presidente dos bispos filipinos, Dom Romulo Valles  (AFP or licensors)

Bispos filipinos: responder ao mal com o bem

A Conferência episcopal convida a abandonar “a cultura da violência, que gradualmente prevaleceu em nossa terra”, escolhendo “coragem, amor, fé e convicção”. “A fé é a fonte de força das pessoas” e guia “como bússola moral e espiritual da vida das pessoas”, nas várias situações da vida cotidiana, ressalta-se.

Cidade do Vaticano

É urgente opor-se ao “ciclo do ódio” que está tomando pé em nossa sociedade: é o que afirmam os bispos das Filipinas na conclusão de sua 118ª Assembleia plenária, realizada de 26 a 28 de janeiro em Manila, capital do país do sudeste asiático.

Bispos convidam a abandonar cultura da violência

Na carta pastoral publicada ao término dos trabalhos os prelados falam do “ciclo do ódio”, referindo-se ao atentado de 27 de janeiro na Catedral de Jolo que deixou ao menos 20 mortos e mais de 80 feridos; mas citam também o rastro de execuções extrajudiciais que se registram no âmbito da “guerra à droga”.

Ciclo de ódio destruindo o tecido moral do país

 

O texto, assinado pelo arcebispo de Davao e presidente da Conferência episcopal, Dom Romulo Valles, diz: “O recente bombardeio da Catedral de Jolo no qual dezenas de pessoas foram mortas e muitas outras ficaram feridas é uma prova ulterior do ciclo de ódio que está destruindo o tecido moral de nosso país”.

A Conferência episcopal convida a abandonar “a cultura da violência, que gradualmente prevaleceu em nossa terra”, escolhendo “coragem, amor, fé e convicção”. “A fé é a fonte de força das pessoas” e guia “como bússola moral e espiritual da vida das pessoas”, nas várias situações da vida cotidiana, ressaltam.

O mal seja vencido com o bem

“Mais do que nunca, como membros da Igreja, devemos dar-nos conta de que a nossa força está em manter a nossa fé intacta”, aplicando-a, em consciência, “à complexa miríade de problemas da vida: na escolha dos líderes, no exercício da vocação de cidadãos, no crescimento das famílias, no trabalho e nas profissões”.

Os bispos fazem votos de que “a fé mantenha unidos esses vários aspectos da vida, deixando que a consciência fale de modo coerente em todos os aspectos da nossa vida”, de tal modo que “o mal seja vencido com o bem”.

Atentado quer por em risco processo de paz em Mindanao

Falando após a assembleia, o presidente dos bispos declarou que, diante de uma ação perversa como a de Jolo, como fiéis devemos olhar dentro de nossos corações e responder com o bem. Essa é a força da nossa fé”.

Também o arcebispo de Cagayan de Oro, Dom Antonio Ledesma, disse na conclusão da assembleia que o atentado “quer por em risco o processo de paz em Mindanao, especialmente após o referendum sobre a Lei Orgânica Bangsamoro, que efetivamente é um acordo de paz entre o governo e os grupos armados das comunidades muçulmanas”. E fez votos de que “este ataque não destrua o caminho da paz”.

(Fides)

30 janeiro 2019, 14:46