Cerca

Vatican News
Mons. Nereudo: "como no passado, também hoje Deus haverá de suscitar profetas para a Igreja no Brasil" Mons. Nereudo: "como no passado, também hoje Deus haverá de suscitar profetas para a Igreja no Brasil" 

Precisamos de pastores que ouçam o clamor deste povo das periferias

Mons. Nereudo Freire diz-nos acreditar na ação do Espírito de Deus, que guia a sua Igreja. “Por isso – afirma –, acredito também que não vai faltar profetas, alguém que possa denunciar, que possa falar em nome dos empobrecidos.”

Raimundo de Lima - Cidade do Vaticano

Amigo ouvinte, prosseguimos em nosso quadro “Brasil na Missão Continental” trazendo a participação do ecônomo da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e coordenador da parte econômico-financeira da Repam – Rede Eclesial Pan-Amazônica, Mons. Nereudo Freire Henrique.

O Espírito Santo de Deus guia a sua Igreja

Na edição passada nosso convidado afirmou-nos, entre outros, que a Igreja no Brasil tem o grande desafio de viver o profetismo. “Os povos indígenas estão cada vez mais ameaçados, os negros são ameaçados, as periferias das grandes cidades, o povo não tem dignidade, não tem vida”: então a Igreja tem que ser profética, ela “não pode de forma alguma cruzar os braços”, disse.

 

Na edição de hoje Mons. Nereudo nos diz que, como no passado, também hoje Deus haverá de suscitar profetas para a Igreja no Brasil. Diz-nos ter tido a alegria de trabalhar com pastores como Dom Hélder Câmara, Dom José Maria Pires, Dom Marcelo Carvalheira, entre outros, e com esta experiência foi “aprendendo a necessidade de a Igreja ser cada vez mais uma Igreja atenta, com o olhar voltado para as situações de ameaças”.

O sacerdote do clero da Arquidiocese da Paraíba fala-nos da situação de violência vivida no Brasil, onde cerca de sessenta mil pessoas morem por homicídio a cada ano, “pior do que um país em guerra”, observa.

Diz-nos acreditar na ação do Espírito de Deus, que guia a sua Igreja. “Por isso – afirma –, acredito também que não vai faltar profetas, alguém que possa denunciar, que possa falar em nome dos empobrecidos.” Vamos ouvir (ouça na íntegra clicando acima).

24 dezembro 2018, 18:27