Cerca

Vatican News
É desejo dos bispos mexicanos que a Equipe nacional para a proteção de menores trabalhe sem hesitação, conforme solicitado pelo Papa Francisco, com vistas à "tolerância zero". É desejo dos bispos mexicanos que a Equipe nacional para a proteção de menores trabalhe sem hesitação, conforme solicitado pelo Papa Francisco, com vistas à "tolerância zero".  (AFP or licensors)

Episcopado mexicano cria "Equipe nacional" para proteção de menores

A iniciativa nasce da consciência das “graves consequência derivantes dos abusos sexuais contra menores por parte do clero e da enorme responsabilidade que todas as instituições têm na prevenção e na assistência das vítimas".

Cidade do Vaticano

Prevenir, identificar e seguir com particular atenção os casos de abusos sexuais no âmbito eclesial. Este é o objetivo da Equipe nacional para a proteção dos menores, cuja criação foi decidida pelos bispos mexicanos durante a sua Assembleia Plenária, em 15 de novembro.

A iniciativa, como explica um comunicado divulgado em 21 de novembro, nasce da consciência das “graves consequência derivantes dos abusos sexuais contra menores por parte do clero e da enorme responsabilidade que todas as instituições têm na prevenção e na assistência das vítimas".

Grupo multidisciplinar

 

A "equipe" incluirá várias figuras provenientes de diversos âmbitos disciplinares com uma ampla abordagem: bispos, sacerdotes e leigos.

Os objetivos são:  trabalhar em políticas e protocolos institucionais para prevenir e combater casos de abusos; oferecer apoio aos bispos, introduzindo grupos para a proteção de menores em todas as dioceses; projetar a criação de ambientes seguros para menores, de acordo com padrões nacionais e internacionais; fornecer aos bispos a necessária consultoria jurídica, canônica e psicológica para enfrentar os casos de abusos por parte de sacerdotes e para acompanhar as vítimas; oferecer uma adequada formação aos sacerdotes, seminaristas e agentes pastorais que trabalham em contato com menores; desenvolver, em sinergia com instituições especializadas no assunto, programas educacionais e subsídios dirigidos às próprias famílias e aos próprios  menores, a fim de fomentar uma cultura de prevenção; desenvolver um sistema de certificação para todas as instituições diocesanas dedicadas ao trabalho com menores; levantar, analisar e publicar todas as informações destinadas a elaborar uma estratégia que a Conferência Episcopal do México e as várias dioceses mexicanas usarão para detectar, prevenir e monitorar o tema dos abusos em menores.

Por fim, caberá à equipe estabelecer vínculos institucionais com órgãos e organizações públicas e privadas que atuam no campo da proteção infantil, para promover boas práticas e fortalecer uma cultura de prevenção e de informação.

Nunca mais abusos de menores

 

É desejo dos bispos mexicanos que a Equipe nacional para a proteção de menores trabalhe sem hesitação, conforme solicitado pelo Papa Francisco, com vistas à "tolerância zero", para assegurar que seja erradicada a cultura que favoreceu a repetição de abusos e sua cobertura.

23 novembro 2018, 12:32