Cerca

Vatican News
Audiência do Papa Francisco aos membros do Sínodo Greco-melquita, em 12 de fevereiro de 2018  Audiência do Papa Francisco aos membros do Sínodo Greco-melquita, em 12 de fevereiro de 2018  

Transferência do arcebispo greco-melquita de Akka para Beirute

O arcebispo greco-melquita Georges Bacouni foi transferito da sede de Akka, em Israel, para Beirute, Líbano.

Jackson Erpen - Cidade do Vaticano

Sua Beatitude Youssef Absi, patriarca de Antioquia dos Greco-Melquitas, com o consenso do Sínodo dos Bispos da Igreja Greco-Melquita, e informando a Sé Apostólica, transferiu Sua Excelência Monsenhor Georges Bacouni da Sé de Akka, Israel, para a Arquieparquia de Beirute, Líbano. A informação é da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Dom Georges Bacouni nasceu 16 de maio de 1962 em Ain el-Roummaneh (Beirute) e em 1985 ele obteve um diploma em Ciências Contábeis da Universidade do Estado libanês.

Ingressou no seminário em 1990, completando seus estudos filosóficos e teológicos no Instituto St. Paul, em Harissa, no Líbano.

Ordenado sacerdote em 1995 para a Arquieparquia de Beirute e Jbeil dos Greco-Melquitas, exerceu seu ministério sacerdotal de 1995-2004 em Bikfayya e em Santa Ana de Raboué. Foi pároco em Safra-Jbeil, bem como coordenador da Pastoral Juvenil para a mesma Arquieparquia e diretor da Pastoral Universitária para as faculdades de Arquitetura e Medicina na Universidade Libanesa.

Em 22 de junho de 2005 foi eleito arcebispo de Tiro dos Greco-Melquitas (Líbano) e em 21 de outubro foi publicada a notícia do reconhecimento Pontifício à eleição canonicamente realizada.

Ele recebeu a consagração episcopal em 27 de novembro de 2005. O Sínodo dos Bispos da Igreja Greco-Melquita, em junho de 2014, transferiu-o para a Arquieparquia de Akka dos Greco-Melquitas (Israel). O mesmo Sínodo, que reuniu-se de 5 a 9 de novembro passado em Raboueh (Líbano), transferiu-o para a Arquidiocese de Beirute e Jbeil dos Greco-Melquitas (Líbano).

Os melquitas continuaram a se considerar ortodoxos, por sua fidelidade aos sete primeiros concílios ecumênicos e à tradição oriental, tendo apenas algo a mais que é a comunhão com Roma.

A Igreja Melquita do Brasil é organizada numa eparquia, a Eparquia melquita no Brasil que abrange quatro igrejas: Catedral de Nossa Senhora do Paraíso em São Paulo, Igreja de São Basílio, no Rio de Janeiro,Igreja de Nossa Senhora do Líbano em Fortaleza e Igreja de São Jorge em Juiz de Fora.

Dom Sergio de Deus Borges, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e Vigário Episcopal para a Região Santana, também exerce a missão de Administrador Apostólico da Eparquia Greco-Melquita Nossa Senhora do Paraíso. Ele foi nomeado pelo Papa Francisco após a transferência do então Eparca, Dom Joseph Gébara, para a Arquieparquia de Petra e Filadélfia, na Jordânia.

24 novembro 2018, 17:46