Cerca

Vatican News
"Ano da Juventude" 2019 nas Filipinas será ocasião de experiência, de partilha e de oração "Ano da Juventude" 2019 nas Filipinas será ocasião de experiência, de partilha e de oração 

Igreja filipina inicia Ano dos Jovens

O ano 2019 “é dedicado aos jovens que são o futuro, mas também o presente da Igreja. Com sua participação ativa na sociedade e na vida da Igreja, inspiram todos nós para a evangelização e a transformação social”, diz Dom José Palma.

Cidade do Vaticano

A Igreja nas Filipinas inaugurou na solenidade de Cristo Rei, celebrada no domingo (25/11), o Ano dos Jovens, anunciando contextualmente a Jornada Nacional da Juventude de 2019. A Conferência episcopal do país asiático anunciou oficialmente que 2019 será o Ano dos Jovens, que se concluirá em 24 de novembro de 2019, como parte da “viagem de nove anos para a Nova Evangelização” em preparação para os 500 anos da chegada da fé cristã às Filipinas (1521-2021).

Ano dos Jovens e Jornada da Juventude

Jovens são o futuro, mas também o presente da Igreja

Apresentando os eventos, o arcebispo de Cebu, Dom José Palma declarou: “Ao celebrar o Ano dos Jovens e a Jornada da Juventude queremos levar mais pessoas a seguir Jesus”. O ano 2019, disse, “é dedicado aos jovens que são o futuro, mas também o presente da Igreja. Com sua participação ativa na sociedade e na vida da Igreja, inspiram todos nós para a evangelização e a transformação social”, frisou.

No itinerário de preparação para as celebrações jubilares de 2021, os primeiros anos foram dedicados à “formação integral da fé (2013), aos leigos (2014), aos pobres (2015), à Eucaristia e à família (2016), e à paróquia como comunhão de comunidade (2017). O ano 2018 é dedicado ao clero e às pessoas consagradas. Após o Ano dos jovens (2019), os últimos dois anos serão dedicados ao ecumenismo e ao diálogo inter-religioso (2020) e à missio ad gentes (2021).

V centenário da chegada do cristianismo às Filipinas

O arcebispo Dom Palma disse ainda: “Com gratidão e alegria, aguardamos 16 de março de 2021, quinto centenário da chegada do cristianismo às Filipinas. Recordamos com agradecimento a primeira missa celebrada na ilha de Limasawa, no domingo de Páscoa, 31 de março daquele ano”.

“Recordamos o batismo de Rajah Humabon, a quem foi dado o nome de batismo Carlos, e de sua mulher Harah Amihan, que recebeu o nome de Juana, em 1521. Voltamos nosso olhar para o Senhor Deus Menino de Cebu (Niño de Cebu), o ícone religioso mais antigo das Filipinas, doação de Ferdinando Magellano aos primeiros católicos filipinos. 2021 será um ano de grande Jubileu para a Igreja nas Filipinas”, acrescentou o arcebispo.

(Fides)

28 novembro 2018, 12:15