Versão Beta

Cerca

Vatican News
 2018-08-06 Argentina - Manifestazione contro l'aborto Argentina: manifestações contra o aborto 

Bispos da Argentina: “Coragem e humildade para enfrentar as mudanças"

Na Assembleia da Conferência Episcopal Argentina, em primeiro plano os debates sobre o aborto e seu impacto em muitos jovens, as denúncias de abusos e os ataques ao Papa de dentro e de fora da Igreja. No contexto da crise econômica que atravessa o país, o episcopado é chamado à coragem e à unidade.

Cidade do Vaticano

Realiza-se de 5 a 9 de novembro em Pilar, na Argentina, a 116ª Assembleia Plenária dos Bispos Argentinos (CEA). Na programação dos trabalhos, terá espaço adequado, como sempre, para discussões e informações sobre a realidade e sobre a pastoral de cada diocese, assim como para a intervenção das Comissões da CEA e enfim, serão discutidos alguns importantes temas que envolvem a Igreja na Argentina.

Os desafios pastorais iluminados pelo Evangelho

Na homilia da missa de abertura, o presidente da CEA e bispo de San Isidoro, Dom Osar V. Ojea disse que “foi um ano muito difícil. Muitos eventos dos últimos meses nos deixaram perplexos, e ao mesmo tempo representam grandes desafios pastorais que devem ser iluminados pela luz do Evangelho”.

Situações complexas e conflituais que afligem a Igreja

O presidente da CEA citou algumas “situações complexas e conflituais”: o debate sobre o aborto e o seu impacto sobre nossos jovens, inclusive em escolas e comunidades; o fenômeno da apostasia; as denúncias de abusos que aumentam a dor no profundo do coração da Igreja; os ataques à pessoa do Santo Padre de dentro e de fora da Igreja, “de um modo sem precedentes”. Dom Ojea prosseguiu dizendo: “Tudo isso é vivido no contexto de uma crise social e econômica que atinge todo o povo argentino, e que é resultado da desconfiança da liderança política, aumentando as diferenças sociais, a raiva e a intolerância, que tornam a convivência complexa”. O bispo argentino sugere que cada um faça uma séria reflexão, como cristão que escuta a Palavra de Jesus.

“Temos que aprender a nos livrar de um reconhecimento social que os bispos tiveram em outra época e que agora não existe mais. Quando se vive um período de intensa purificação e longe de uma Igreja triunfalista, é tempo de renunciar à primeira fila nos banquetes, servindo com humildade os irmãos mais pobres… Mas temos que ter paciência. A paciência é parte da virtude da força”

A Igreja argentina precisa de coragem para enfrentar as mudanças

Dom Ojea revelou enfim que na situação atual é preciso coragem: “Precisamos da coragem, da coragem de Jesus. Coragem para enfrentar as mudanças. A parresia é um dom do Espírito. É a disposição espiritual de falar livre e sinceramente mesmo em situações adversas”.

O episcopado é chamado ao diálogo para reforçar a unidade

Enfim, Dom Ojea concluiu chamando o episcopado à unidade: “Devemos estar atentos e ajudarmo-nos, não pela nossa honra, mas para o santo povo fiel de Deus, que pode estar confundido e desmoralizado pelas mensagens que recebe. Hoje mais do que nunca devemos vigiar e defender a unidade do nosso episcopado, procurando apresentar os nossos acordos e desacordos, não permitindo que o espírito do mal nos divida. É um momento de diálogo sincero, profundo e corajoso entre nós. Esse diálogo nos enriquece e favorece a nossa unidade”.

Ouça e compartilhe

 

06 novembro 2018, 14:22