Versão Beta

Cerca

Vatican News
Condecoração para Universidade Católica Portuguesa no 50º aniversário Condecoração para Universidade Católica Portuguesa no 50º aniversário  

Portugal: Universidade Católica é membro honorário da Ordem da Instrução Pública

Presidente da República assinalou «cinco décadas de devotado serviço à educação e à cultura» da UCP no encerramento das comemorações dos 50 anos da instituição.

Domingos Pinto – Lisboa

O Presidente da República presidiu no passado dia 11 na Universidade Católica Portuguesa em Lisboa, ao Encerramento do Ciclo de Grandes Conferências Católica@50 “Futuros Globais”, tendo agraciado a Universidade como Membro Honorário da Ordem da Instrução Pública.

A sessão decorreu no Auditório Cardeal Medeiros, e assinalou o encerramento das comemorações dos 50 anos desta instituição da igreja marcadas ao início da tarde por uma eucaristia presidida por D. Manuel Clemente, Cardeal Patriarca de Lisboa.

Na sua homilia, o Magno Chanceler da UCP enalteceu os milhares de diplomados pela universidade, homens e mulheres que “atestam que a resposta à pergunta de São Paulo: ‘que fizeste do Espírito Santo’ tem neste momento uma resposta muito positiva”.

Nesta sessão solene, foi também apresentado um estudo realizado pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da UCP sobre o impacto social, económico, científico e de inovação, e também pastoral, da Universidade ao longo destes 50 anos, com destaque para a produção de mais de 48 mil diplomados, que representaram a criação de cerca de 166 mil postos de trabalho.

A UCP teve um impacto de “cerca de 18 mil milhões de euros” na economia portuguesa ao longo deste meio século de vida, um valor que tem vindo a crescer e situa-se atualmente em mais de 600 milhões de euros por ano.

Na sua conferência, o Presidente da República salientou a urgência de afirmar, num mundo marcado por fenómenos como a exclusão social e a crise de refugiados, “um sentido personalista da vida e da pessoa”.

“O respeito da dignidade da pessoa humana é uma linha vermelha que não pode ser riscada nem beliscada”, frisou Marcelo Rebelo de Sousa que deixou um alerta: “Futuros globais” são necessários, mas “de paz e não de guerra, de multilateralismo e não de fechamento unilateral, de defesa dos direitos das pessoas e não da sua entorse, se útil ou conveniente”.

A Universidade Católica Portuguesa assinou também um protocolo com outras sete universidades católicas de vários países, no sentido de reforçar a cooperação nos campos do “ensino, da investigação e do serviço à comunidade”.

Atualmente, a UCP está presente em quatro centros do país – Braga, Lisboa, Porto e Viseu – e também em Macau, com a Universidade Católica de São José.

Ouça e compartilhe!
17 outubro 2018, 15:23