Versão Beta

Cerca

Vatican News
Os ataques continuam a intimidar a população cristã do país que ama a paz. Os ataques continuam a intimidar a população cristã do país que ama a paz.   (AFP or licensors)

Violência contra cristãos na Índia em aumento

Somente no mês de setembro, em todo o Estado de Uttar Pradesh, ocorreram 25 episódios de violência contra os cristãos. Em 2018, desde o mês de janeiro, foram registrados 190 casos em toda a Índia.

Cidade do Vaticano

Em Uttar Pradesh, Estado mais populoso do norte da Índia, verifica-se um aumento sem precedentes da violência contra os cristãos. O Estado é governado pelo primeiro-ministro Yogi Aditya Nath, religioso hinduísta que seguiu carreira política.

“Somos uma minoria na população indiana, mas parece que a nossa presença neste Estado, é considerada uma ameaça para a agenda escondida de grupos extremistas”, declarou à Agência Fides Manoj Nayak, sacerdote que exerce seu ministério em Uttar Pradesh.

“A violência é registrada sobretudo no distrito que é o colégio eleitoral do primeiro ministro”. Jaunpur tem uma minúscula população cristã, 0,11% dos 180 mil habitantes”, revela A. C. Michael, líder cristãos, ex-membro da Comissão para as Minorias.

Líderes cristãos protestantes são presos pela polícia com base em falsas acusações de “conversões forçadas”. Os cristãos em Jaunpur vivem aterrorizados, deixando até mesmo de realizar encontros de oração em suas casas.

Somente no mês de setembro, em todo o Estado de Uttar Pradesh, ocorreram 25 incidentes, dos quais 20 somente em Jaunpur. Em 2018, desde o mês de janeiro, foram verificados no Estado 59 episódios de violência contra cristãos, num total de 190 registrados em toda a Índia.

Os ataques continuam a intimidar a população cristã do país que ama a paz. "É preocupante, porque essa violência vai contra os pilares democráticos da Índia. As instituições governamentais e os meios de comunicação de massa ignoram esses ataques sistemáticos contra os cristãos", observa o ativista. "E o Judiciário faliu, visto existir julgamentos pendentes para mais de 200 casos de falsas acusações de conversão em vários tribunais indianos", conclui Michael.

(Agência Fides)




26 outubro 2018, 13:18