Versão Beta

Cerca

Vatican News
O encontro se realizará de 14 a 16 de outubro próximo O encontro se realizará de 14 a 16 de outubro próximo 

Bolonha: encontro internacional “Pontes de paz”

Participam dos trabalhos, até o dia 16, Bernice King, filha de Martin Luther King, e custódia do “sonho” de um mundo sem discriminações,

Cidade do Vaticano

Realiza-se de 14 a 16 de outubro, em Bolonha, na Itália, o encontro internacional “Pontes de paz” promovido pela Comunidade de Santo Egídio, que contará com a participação de mais de 300 líderes entre religiosos, do mundo da cultura e de instituições junto com milhares de participantes de toda a Europa.

“Num tempo difícil, quando muitas redes de convivência nas periferias das grandes cidades caem um pouco de cada vez e se erguem muros não apenas entre Europa e África, para defender-se dos migrantes, mas também entre países europeus, precisamos reconstruir juntos pontes de paz”, disse o presidente do organismo,  Marco Impagliazzo, na coletiva de apresentação do encontro, nesta sexta-feira.

Encontros entre os povos

Na abertura do evento, na tarde de domingo, 14 de outubro, estarão presentes o grande imame de Al-Azhar, Ahmad Al-Tayyeb, o patriarca copta, Teodoro II, o patriarca sírio-ortodoxo, Ignatius Aphrem II, e o rabino-chefe da França, Haim Korsia.

Também estarão presentes durante o encontro, o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, e o ex-presidente da Comissão europeia, Romano Prodi.

Participam dos trabalhos, até o dia 16, Bernice King, filha de Martin Luther King, e custódia do “sonho” de um mundo sem discriminações, o arcebispo de Cotabato (Mindanao) nas Filipinas, cardeal Orlando Beltran Quevedo, junto com o pe. Solalinde, que no México defende os migrantes e tira os jovens da rede de narcotraficantes, e o médico Grégoire Ahongbonon que luta pela dignidade e cura os doentes mentais na África Ocidental.

Será grande também a participação dos bispos católicos de todos os continentes, de representantes da Igreja ortodoxa-russa, como também do Islã, do Judaísmo e religiões asiáticas.

A Arquidiocese de Bolonha, que sempre foi uma encruzilhada de encontros entre os povos e a sede europeia da cultura antiga, promovendo, junto com a Comunidade de Sant'Egidio, o evento escolheu como logotipo os famosos pórticos da cidade, transformados em pontes.

Caravana dos peregrinos de paz

Vários temas serão abordados durante o evento, caracterizados por uma escolha de abertura e diálogo, levada adiante por uma “caravana dos peregrinos de paz” que incluiu religiosos e leigos.

Este ano o encontro coincide com o quinquagésimo aniversário da Comunidade de Santo Egídio que há 32 anos promove eventos internacionais no “espírito de Assis”.

Líderes e intelectuais, mas sempre entre as pessoas, para momentos de reflexão “não reservados a especialistas ou autorreferenciais”, mas abertos a todos e acompanhados de ampla participação popular. Outros temas que também serão abordados “A Europa e sua crise”, a solidariedade entre as gerações, o diálogo inter-religioso, o meio ambiente, o desarmamento, o papel dos fiéis diante das guerras, a violência generalizada na América Latina, o futuro da África e João Paulo II a exatamente 40 anos, em 16 de outubro de 1978, do início de seu pontificado.

Dentre as milhares de pessoas esperadas em Bolonha, os dois mil voluntários que contribuíram na preparação do evento e os Jovens pela Paz, movimento ligado à Comunidade de Santo Egídio que animará encontros em diferentes partes da cidade.

 “Sente-se a necessidade absoluta de construir pontes. Estamos convencidos disso, não oposições e muros. Apenas a civilização do viver juntos pode resistir aos desafios da globalização e da paz”, concluiu Impagliazzo.

Ouça a reportagem
29 setembro 2018, 14:09