Versão Beta

Cerca

Vatican News
Escândalos dos abusos também envolveu o coral Regensburger Domspatzen Escândalos dos abusos também envolveu o coral Regensburger Domspatzen 

"Irresponsável" divulgação antecipada de relatório sobre abusos, diz Igreja alemã

O estudo “Abuso sexual de menores por sacerdotes católicos, diáconos e religiosos masculinos no âmbito da Conferência Episcopal Alemã”, foi encomendado há quatro anos pela Conferência Episcopal alemã e os resultados seriam apresentados aos jornalistas durante coletiva de imprensa no dia 25 de setembro, durante a Assembleia Plenária de Outono.

Jackson Erpen - Cidade do Vaticano

A divulgação antecipada na quarta-feira, 12, do estudo “Abuso sexual de menores por sacerdotes católicos, diáconos e religiosos masculinos no âmbito da Conferência Episcopal Alemã” - encomendado pelo próprio organismo dos bispos - causou indignação entre os prelados, pois nem eles haviam se inteirado do conteúdo, que estará na pauta da Assembleia Plenária de Outono a ter lugar em Fulda de 24 a 27 de setembro.

O estudo - elaborado por um grupo coordenado pelo Prof. Dr. Harald Dreßing (Verbundkoordinator, Zentralinstitut für Seelische Gesundheit Mannheim) - seria divulgado no dia 25, no encontro com os jornalistas, mas foi divulgado por alguns órgãos de comunicação alemães. O tema estará no centro da coletiva de imprensa no dia 25, ao meio dia.

“Lamento que o estudo, que até agora permaneceu confidencial, e portanto o resultado de quatro anos de trabalho de pesquisa” sobre o tema dos abusos, “tenha sido publicado hoje pela mídia”, disse na quarta-feira em uma nota Stephan Ackermann (Trier), comissário para as questões de abuso sexual no âmbito eclesiástico e para as questões da proteção das crianças e dos jovens da Conferência Episcopal Alemã.

 

“O procedimento causa mais indignação ainda, porque até agora os membros da Conferência Episcopal Alemã não tinham conhecimento de todo o estudo. Sobretudo em relação às pessoas feridas pelos abusos sexuais, a publicação antecipada irresponsável do estudo é um duro golpe”, deplorou.

Dom Ackermann recordou que durante a Assembleia, será divulgado um número de telefone de consulta para aqueles que estão preocupados com o acontecimento e desejam falar com alguém a respeito.

“Pedimos a estas pessoas para contactarem a Pastoral telefônica, a Pastoral na internet e os representantes sobre a questão dos abusos das dioceses, enquanto não estiver disponível o telefone para consultas”.

No dia 25 de setembro, durante a Assembleia, está previsto um encontro com os jornalistas para falar sobre o estudo elaborado por um grupo coordenado pelo Prof. Dr. Harald Dreßing (Verbundkoordinator, Zentralinstitut für Seelische Gesundheit Mannheim).

“Estamos cientes da extensão do abuso sexual, como demostram os resultados do estudo. É opressivo e embaraçoso para nós. Quatro anos atrás nós encomendamos o estudo e nós, em particular, estamos lidando com os resultados. O primeiro passo nessa direção será a Assembleia Geral de Fulda”.

O objetivo do estudo, que contou com a participação de todas as 27 dioceses alemãs, é o de obter maior clareza e transparência sobre este lado obscuro da Igreja, não só para o bem dos atingidos, “mas também para poder ver os crimes como tal, e fazer todo o possível para evitar que aconteçam novamente”.

“Nosso objetivo é uma reestruturação responsável e profissional. Estou convencido de que o estudo é uma pesquisa completa e detalhada que fornece cifras e análises dos quais continuaremos a aprender. Isso também se aplica aos resultados que nos permitem aprofundar as ações dos autores e o comportamento dos responsáveis da Igreja nas últimas décadas”.

“Destaco mais uma vez – disse Stephan Ackermann - o estudo é uma medida que devemos não somente à Igreja, mas sobretudo e antes de tudo àqueles que foram atingidos”.
 

13 setembro 2018, 10:25