Versão Beta

Cerca

Vatican News
2018.08.23 Gruppo Volontariato Missionario FEC, 2018 Grupo Voluntariado Missionário FEC, 2018 

Voluntariado missionário de longa duração aposta em Portugal

1028 portugueses fazem Voluntariado Missionário em 2018. No total, 76% são mulheres e 24% homens

Domingos Pinto - Lisboa

Os números, divulgados em Lisboa, são revelados pela Rede de Voluntariado Missionário coordenada pela Fundação Fé e Cooperação (FEC), organismo da Igreja Católica em Portugal.

“Este ano temos a novidade dos Leigos para o Desenvolvimento que envia voluntários em missão durante um ano, no mínimo, para dentro de Portugal”, sublinha ao portal da Santa Sé Catarina António, coordenadora da rede e gestora de projetos da FEC.

Esta experiência inovadora tem lugar nas localidades da Caparica e do Pragal, no concelho de Almada, onde o voluntariado assenta nos mesmos moldes das diversas missões que se realizam fora do país.

No total, 421 jovens e adultos realizam projetos de voluntariado missionário em países em desenvolvimento e 607 desenvolvem atividades de voluntariado/missão em Portugal.

O número global (1028 voluntários) representa uma diminuição face a 2017 (1403 voluntários), em período homólogo, verificando-se, no entanto, “um aumento no número de voluntários que parte para missões fora da Europa”, revela a Rede de Voluntariado Missionário.

Cabo Verde vai acolher 117 voluntários; São Tomé e Príncipe recebe 76; Moçambique, 67; Angola, 54; Guiné-Bissau, 40; Portugal, 17; Brasil, 14; Tanzânia, 11, Timor-Leste, nove; Costa do Marfim, cinco; Grécia, cinco; Argentina, dois; a República Centro Africana, a Etiópia e Zâmbia recebem um voluntário cada.

A maioria dos voluntários tem idades compreendidas entre 18 e 30 anos, sendo 67% estudantes, recém-licenciados ou pessoas empregadas que dedicam o seu tempo de férias para se integrar no desenvolvimento de projetos de voluntariado internacional.

22 pessoas, entre os 18 e os 50 anos, deixam o seu emprego e nove pedem uma licença sem vencimento para partir este ano para países em desenvolvimento, um total de 11 desempregados decidem dedicar o seu tempo a experiências de voluntariado missionário, representando um total de 3% no universo do número de partidas.

As principais áreas de intervenção das entidades são a agricultura, animação sociocultural, construção de infraestruturas, educação e formação, pastoral, saúde, dinamização comunitária, entre outras necessidades sentidas no decorrer dos projetos.

Para Catarina António, “é um voluntariado de entrega”, e responde “ao apelo do Papa Francisco que nos convida a ser uma igreja em saída e a dar um bocadinho do melhor de nós a outros povos, a outras pessoas”.

“O Papa Francisco é um exemplo. Tem chamado muito a nossa atenção de que nós somos cristãos, e como cristãos somos logo à partida missionários”, diz a gestora de projetos da FEC que vê no Santo Padre “uma pessoa que transborda amor e transparece esse amor para todos nós”.

Oiça aqui a reportagem:
23 agosto 2018, 13:52