Cerca

Vatican News
Nossa Senhora de Harissa, Rainha do Líbano Nossa Senhora de Harissa, Rainha do Líbano 

Santuário N. Senhora de Harissa no Líbano celebra seu Jubileu

O Santuário foi construído em 1908. Todos os anos, pelo menos 2 milhões de peregrinos, cristãos e muçulmanos, vão até lá rezar, agradecer e fazer seus pedidos. "Um ponto de encontro entre Oriente e Ocidente".

Cidade do Vaticano

O Santuário de Nossa Senhora do Líbano, com a estátua que domina a paisagem da costa do país desde a altura de Harissa, começou a celebrar seu Jubileu de 110 anos em 5 de agosto.

A Missa Solene que abriu as festividades foi celebrada na grande Basílica às 11 horas do último domingo, seguida por uma procissão para a abertura da "Porta Santa" do Santuário, que permanecerá aberta durante todo o ano, acolhendo os peregrinos.

Local de encontro entre Oriente e Ocidente

 

O Santuário de Harissa é o destino de muitas peregrinações não só de cristãos, mas também de muçulmanos, que honram a Virgem Maria, mencionada no Alcorão.

As mulheres muçulmanas visitam o santuário, acendem velas, colocam flores e fazem ofertas de dinheiro, especialmente para pedir a graça de ter um filho.

O padre Khalil Alwan, vice-reitor do santuário, em entrevista ao jornal Orient-Le Jour, afirma que a Basílica "é um local de encontro entre Oriente e Ocidente". Todos os anos, pelo menos 2 milhões de peregrinos acorrem ao local.

Em 2016, com uma Missa solene em Harissa, o patriarca maronita Bechara Boutros Raï consagrou o Líbano e o Oriente Médio ao Imaculado Coração de Maria. (AsiaNews)

Ouça e compartilhe!

 

 

 

07 agosto 2018, 08:40