Versão Beta

Cerca

Vatican News
Crime foi cometido no Mosteiro de São Macário, noroeste do Cairo, em 29 de julho Crime foi cometido no Mosteiro de São Macário, noroeste do Cairo, em 29 de julho 

Egito: dois monges serão julgados pelo "assassinato premeditado" do bispo Ephiphanius

O bispo copta-ortodoxo Epiphanius, abade do Mosteiro de São Macário, o Grande (Dayr Abu Maqar), foi encontrado morto no interior do mosteiro na manhã de domingo, 29 de julho.

Cidade do Vaticano

O Tribunal de Alexandria, no Egito, responsabilizou no domingo, 19,  dois monges pelo assassinato do bispo copta-ortodoxo Epiphanius -  abade do Mosteiro de São Macário, em Wadi al-Natroun – na manhã do domingo, 29 de julho.

Epiphanius foi encontrado morto no corredor que liga sua cela à capela - para onde se dirigia para o Ofício da manhã - cercado por uma poça de sangue. Monges no local notificaram imediatamente a polícia de Wadi al-Natroun, que descobriu que o bispo tinha fraturas na parte de trás do crânio, o que levou à suspeita de assassinato.

Segundo o Promotor, os monges Ash'eyaa al-Makary (Wael Saad Tawadros) e Faltaous al-Makary (Raymon Rasmy Mansour) serão julgados por "homicídio premeditado", informou o diário estatal egípcio "Al Ahram", em sua edição digital.

 

Ash'eyaa confessou o assassinato no início deste mês, tendo sido detido em 11 de agosto e posteriormente expulso da Igreja Copta Ortodoxa. Ele disse que planejou o assassinato com o monge Faltaous, detido no dia seguinte, por colaboração e incitação ao crime. Atualmente ele está sob vigilância policial no Hospital Anglo Americano em Zamalek, onde se recupera dos ferimentos sofridos em tentativa de suicídio.

Ash'eyaa explicou que bateu três vezes na cabeça do bispo Epiphanius com um tubo de ferro, enquanto o outro monge vigiava à distância. Ash'eyaa  era investigado pelo bispo por violações das regras monásticas.

O caso chocou a comunidade copta-ortodoxa egípcia, normalmente abalada por atentados terroristas, o que levou a Igreja Copta a impor novas normas para regular a vida monacal, sob as diretrizes do Patriarca Tawadros II, como a proibição do ingressos de novos monges, da presença nas redes sociais, da construção de novos locais de oração ou de abanonar os mosteiros sem uma permissão formal.

Discípulo de Matta el Meskin - pai espiritual e uma figura chave na história recente da Igreja Copta Ortodoxa - Anba Epiphanius viveu intensas relações de comunhão espiritual com amigos e comunidades monásticas da Igreja Católica.

 

20 agosto 2018, 17:13