Versão Beta

Cerca

Vatican News
Apoiador de Daniel Ortega, encapuzado, com três religiosas diante da Basílica de San Sebastián, em Diriamba Apoiador de Daniel Ortega, encapuzado, com três religiosas diante da Basílica de San Sebastián, em Diriamba  (AFP or licensors)

A solidariedade dos episcopados latino-americanos à Nicarágua

Várias Conferências Episcopais de países da América Latina condenaram as agressões de segunda-feira contra três bispos no interior de uma Basílica em Diriamba, próximo a Manágua, pedindo o fim da violência e lançando um apelo à comunidade internacional para que ajude a encontrar uma solução para a crise pela qual atravessa o país, e que já deixou 320 mortos em protestos.

Cidade do Vaticano

A repressão contra o povo nicaraguense e a agressão ao cardeal arcebispo de Manágua Leopoldo Brenes, ao bispo auxiliar Silvio José Báez, ao núncio apostólico no país Dom Stanislaw Sommertag na segunda-feira, 9 de julho, na Basílica Menor de San Sebastián, em Dirimba e a dois sacerdotes na paróquia Santiago, em Jinope, foi condenada por diversos episcopados latino-americanos.

Costa Rica

 

A Conferência Episcopal da Costa Rica classificou como “covarde” a agressão, e diante do recrudescimento constante da repressão do governo nicaraguense contra seu próprio povo,  reitera sua “mensagem de solidariedade e proximidade com os irmãos bispos e com o povo da Nicarágua”, exortando a comunidade internacional “a colaborar com a solução deste conflito, para que se encontre o caminho que leve à paz”.

México

 

Proximidade e solidariedade e um chamado à comunidade internacional para colaborar na solução do conflito, também é expresso pela Conferência Episcopal Mexicana, que reza para que a Virgem de Guadalupe auxilie e proteja o povo nicaraguense nestes momentos de dificuldade.

Argentina

 

O episcopado argentino convida os fiéis do país para “acompanhar o sofrimento dos nicaraguenses”, e pede a Deus “o dom da paz e a sabedoria do diálogo fraterno”.

 

Em um comunicado, os prelados argentinos expressam aos bispos nicaraguenses agredidos “a profunda comunhão pelo fiel testemunho evangélico diante da agressão sofrida como pastores, enquanto levavam o consolo e a fortaleza da fé a sacerdotes e fiéis vítimas da violência”.

Panamá

 

Já o Comitê Permanente da Conferência Episcopal Panamenha quis tornar público seu “mais enérgico repúdio aos atos violentos” contra os irmãos bispos da Nicarágua.

“Essa agressão irracional é uma prova da ausência de ouvir o clamor do povo, que exige de suas autoridades um país democrático, em que o pensar diferente do outro não seja causa de perseguição e repressão”.

“Esses atos – diz a nota – são perpetrados por aqueles que não compreenderam que com a violência jamais se poderá encontrar os caminhos de diálogo e reconciliação para solucionar a grave crise vivida na Nicarágua”.

Cuba

 

Na mensagem dirigida ao arcebispo de Manágua, cardeal Leopoldo Brenes, e assinada por Dom Juan de Dios Hernándes, sj, bispo auxiliar de La Habana e secretário geral da Conferência Episcopal cubana, os bispos cubanos afirmam que “esses atos de violência e profanação, de crimes e abusos de poder, são verdadeiramente degradantes, e por isso, experimentamos o sentido lógico da fraternidade pastoral diante do momento que enfrentam”.

“A todos os irmãos bispos, sacerdotes, diáconos, religiosas e religiosos e fiéis e a todos os nicaragüenses de boa vontade, fazemos chegar a nossa proximidade fraterna, oração solidária e o profundo desejo de que os caminhos do perdão, o diálogo construtivo e sincero, assim como os anseios da verdade,  justiça e  apego à legalidade constitucional, levam a uma paz estável e verdadeira”.

Guatemala

 

Os bispos da Conferência Episcopal guatemalteca acompanham com "atenção e preocupação" o desdobramento dos acontecimentos no "país irmão". “É lamentável e injustificável que não exista disposição por parte das autoridades governamentais de gerar as condições para o retorno da paz ao povo nicaraguense. Muitas mortes poderiam ter sido evitadas”.

“Louvamos e apoiamos em solidariedade a comunhão eclesial, os esforços realizados por nossos irmãos bispos nicaraguenses para acompanhar o povo sofredor e buscar uma saída na justiça e na verdade para esta situação”.

Honduras

 

"Nós nos unimos a tantas Conferências Episcopais e Igrejas particulares que expressaram um valioso testemunho de comunhão para elevar juntos uma súplica e orações ao Pai celestial, pedindo paz e justiça na Nicarágua, pedindo por sua Igreja e por cada pessoa e cada família que vivem no meio ao perigo, ameaça e incerteza", é o desejo expresso pelo episcopado hondurenho.

Ouça e compartilhe!
11 julho 2018, 13:56