Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Funeral das duas policiais mortas Funeral das duas policiais mortas 

Em funeral de policiais, bispo belga exorta a não ceder ao medo e ao ódio

Duas policiais assassinadas em atentado terrorista na Bélgica na última semana, foram sepultadas esta terça-feira em Liège. Dom Jean-Pierre Delville exortou a contrastar o ódio com o diálogo e a paz.

Cidade do Vaticano

"Não deixar-se abater pelos sentimentos de medo e ódio, de resignação, mas ser artesãos de paz". Esta foi a exortação na manhã desta quarta-feira, 5,  do bispo de Liège, Bélgica, Dom Jean-Pierre Delville, ao dirigir-se aos familiares, colegas e autoridades políticas e civis que participaram do funeral de Lucile Garcia e Soraya Belkacemi, as duas policiais mortas na última terça-feira em um atentado perpetrado pelo terrorista Benjamin Herman, de 31 anos.

Opor-se ao desenvolvimento do ódio

 

O bispo - informou a agência Sir - agradeceu aos numerosos policiais presentes pela coragem com a qual agiram na semana passada para garantir a segurança da cidade. Ele também dirigiu uma saudação especial a Sra Darifa Imankaf, de fé muçulmana, funcionária da Prefeitura de Liège, que "conseguiu conter o terrorista, impedindo-o de cometer um massacre ainda maior".

A tarefa que atualmente diz respeito a toda a comunidade de Liège - disse Dom Delville - é "opor-se a qualquer ulterior desenvolvimento do ódio" e sair desta tragédia, "crescidos interiormente, e ainda mais motivado para construir na amizade a sociedade do futuro."

A missão do cristão hoje é "construir laços entre as pessoas e evitar todo tipo de confusão"

 

Lucile Garcia e Soraya Belkacemi eram cristãs e profundamente amigas. A missão do cristão hoje - enfatizou na homilia o prelado - é "construir laços entre as pessoas e evitar qualquer confusão".

"Sabemos que, se o Islã foi invocado como motivação para matar, é porque foi manipulado e mantido refém por terroristas e pessoas violentas. Devemos, portanto, contribuir para libertar o islã dessas interpretações manipuladoras e perversas, promovendo continuamente o diálogo e a amizade ".

"É claro que às vezes nos sentimos sobrecarregados ou impotentes". Mas "Deus preenche as lacunas do nosso amor e nos impele mais longe do que pensamos que somos capazes".

A tericeira vítima do ataque, Cyrill Vangriecken, foi sepultada na segunda-feira, 4, em Vottem. (SIR)
 

05 junho 2018, 16:22