Cerca

Vatican News
Cristãos são minoria no Paquistão, que tem 96,2% de muçulmanos Cristãos são minoria no Paquistão, que tem 96,2% de muçulmanos  (ANSA)

Elevação de D. Coutts a cardeal contribui para a harmonia no país, dizem líderes muçulmanos

Continua a repercutir positivamente no Paquistão - mesmo entre líderes muçulmanos e hinduístas - a elevação a cardeal do arcebispo Coutts, decisão "que fortalece a harmonia" no país.

Cidade do Vaticano

"Trabalho com o arcebispo Coutts há 11 anos e a escolha de nomeá-lo cardeal é uma grande honra para toda a nação do Paquistão. O apoiamos na construção e promoção do amor, paz, harmonia e união em todo o Paquistão. Logo iremos organizar um grande encontro inter-religioso dedicado ao cardeal Coutts".

Foi o que afirmou à Agência Fides Allama Mohammad Ahsan Siddiqui, diretor da Comissão Inter-religiosa para a paz e a harmonia em Karachi. No Paquistão, vários líderes civis e religiosos comentaram positivamente a elevação a Cardeal de Dom Joseph Coutts.

Pe. Saleh Diego, Vigário Geral da Arquidiocese de Karachi, afirmou à Fides: "Estamos verdadeiramente felizes: o arcebispo é conhecido pelo seu trabalho incansável em promover a harmonia e o diálogo no país".

Ravi Dass Vaghela, líder hinduísta e coordenador de mídia em Devji Shri Ram Mandir, em Karachi, membro da organização "Masterpeace Paquistão", falando à Agência Fides afirmou que "o Papa Francisco escolheu o homem perfeito do Paquistão, um homem com os pés no chão, admirável pela simplicidade e humildade. Essa decisão fortalece a harmonia no Paquistão" disse ele, expressando suas congratulações em nome de todos os hinduístas no Paquistão.

Entre os líderes políticos, o presidente do Partido Popular do Paquistão, Bilawal Bhutto Zardari, escreveu "estar ansioso para trabalhar ao lado do cardeal Coutts em um Paquistão pacífico e tolerante", enquanto Syed Murad Ali Shah, o primeiro-ministro da Província de Sindh, liderou uma delegação e visitou a Catedral de St. Patrick para se encontrar com o arcebispo Coutts.

Também Hafiz Naeem-ur-Rehman, líder do partido islâmico "Jammat-e- Islami" de Karachi, quis encontrar o arcebispo Coutts, confirmando o compromisso comum em "difundir amor e paz", e pediu ao novo cardeal para trabalhar pela paz na Caxemira, Índia e  Palestina.

Pe Bonnie Mendes, sacerdote da diocese de Faisalabad, e velho amigo do arcebispo Coutts, afirmou:  “Os nossos amigos muçulmanos estão muito felizes. Um dos religiosos muçulmanos, expressando as congratulações,  observou com alegria que este anúncio chegou no mês sagrado islâmico do Ramadã: e vê isso como um sinal de amizade e comunhão espiritual“.

(Agência Fides)

 

25 maio 2018, 15:29