Versão Beta

Cerca

Vatican News
Fiéis no Santuário de Namugongo durante viagem do Papa Francisco a Uganda Fiéis no Santuário de Namugongo durante viagem do Papa Francisco a Uganda 

“Caminhada da fé”: peregrinação para os mártires ugandenses

Trata-se da terceira edição da “Caminhada da fé” desde a sua criação em 2016.

Cidade do Vaticano

Celebra-se em 3 de junho próximo, o Dia dos Mártires Ugandenses 2018, evento que reúne vários peregrinos no Santuário de Namugongo.

No último sábado (26/05), os fiéis lotaram o Santuário dos Mártires Católicos de Munyonyo para a preparação espiritual dos peregrinos para a passeata de 10 km intitulada “Caminhada da fé” (Walk of Faith), no próximo dia 3, a fim de celebrar o dia dos mártires ugandenses.

Terceira edição da iniciativa

Trata-se da terceira edição da “Caminhada da fé” desde a sua criação em 2016. A peregrinação simbólica terá início no Santuário dos Mártires de Namugongo, local em que o rei Mwanga II tomou a decisão de justiçar os mártires, e se concluirá na Paróquia de São Matias Mulumba na área de Old Kampala, onde o santo, um dos mártires católicos, foi morto.

Os primeiros três mártires católicos, São Dênis Ssebuggwawo, São Andrew Kaggwa e São  Pontiano Ngondwe foram mortos em Munyonyo, em 26 de maio de 1886. Alguns foram mortos ao longo da estrada, enquanto outros foram queimados vivos, em Namugongo, em 3 de junho.

Oração

Segundo uma nota da Conferência Episcopal de Uganda, enviada à Agência Fides, a caminhada de 3 de junho será guiada pelo Arcebispo de Tororo, Dom Emmanuel Obbo e pelo Ministro do Turismo, Prof. Ephraim Kamuntu.

Durante o trajeto, os peregrinos farão duas paradas para rezar nos lugares onde alguns mártires foram mortos, antes de seguirem para o destino final na Paróquia de São Matias Mulumba, onde a missa será celebrada por Dom Obbo.

Novenas de preparação

Em preparação para a celebração, se realizam novenas de oração no Santuário católico de Namugongo, de 25 de maio a 2 de junho, e os fiéis católicos de todo o país são chamados a pedir a intercessão dos mártires.

A celebração do dia atrai milhares de peregrinos de todo o mundo que se reúnem para celebrar a fé dos mártires católicos queimados vivos por ordem de Kabaka Mwanga II, rei de Buganda entre 1885 e 1887, por se recusarem a renunciar sua fé.

30 maio 2018, 17:15