Versão Beta

Cerca

Vatican News
Pedras fundamentais das 97 casas de cristãos que serão reconstruídas em Homs graças ao apoio da AIS Pedras fundamentais das 97 casas de cristãos que serão reconstruídas em Homs graças ao apoio da AIS 

Ajuda à Igreja que Sofre reconstroi casas de cristãos na Síria

Graças ao apoio da Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre, 97 famílias cristãs terão suas casas reconstruídas em Homs, na Síria

Cidade do Vaticano

Uma cerimônia especial foi realizada nos dias passados na Catedral sírio-ortodoxa Um al Zehnar, em Homs. Os proprietários das 97 casas de cristãos que a Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre ajudará a reconstruir em Homs, receberam o primeiro tijolo onde estava escrito "Jesus é a minha rocha."

Homs é a terceira maior cidade da Síria depois de Damasco e Aleppo, e durante os primeiros anos de conflito foi palco de confrontos entre rebeldes e forças leais ao governo de Bashar al-Assad.
Muitos cristãos deixaram a cidade por razões de segurança ou porque suas casas foram destruídas.

Os proprietários das 97 moradias que retornaram, pertencem na verdade a diferentes denominações cristãs: uma família maronita, 26 greco-melquitas , 11 greco-ortodoxas e 59 sírio-ortodoxas.

"Obrigado por tudo que vocês fazem por nós - disse à AIS Aziz al Houri e sua esposa. Os nossos filhos estão tão felizes por finalmente poderem voltar para casa!".

"Vivemos anos terríveis - conta o cristão Nizar Al Bitar - mas, graças ao apoio de vocês, não perdemos a esperança. Os cristãos permanecerão na Síria!"

As 97 casas estarão prontas antes do final do verão. Em tempo para que o bebê de Genan Abdalaha possa nascer em sua casa. "Eu não posso acreditar que poderemos finalmente voltar ao nosso bairro!", exclama a futura mãe.

Enquanto isso a Fundação Pontifícia, que já apoiou a reconstrução de outras 110 casas em Homs, doou 300 mil euros para este projeto. "Infelizmente, a guerra na Síria está longe de terminar - afirma o Diretor da AIS-Itália, Alessandro Monteduro - mas graças a intervenções como esta, podemos ajudar nossos irmãos sírios a retornar, ainda que parcialmente, à normalidade."

Monteduro também recorda o grande esforço na Síria da AIS, entidade que está entre as principais realidades em apoio aos cristãos no Oriente Médio.

«De 2011 até hoje, doamos mais de 24 milhões e 500 mil euros aos nossos irmãos sírios. Esses cristãos corajosos sofreram e continuam sofrendo muito, e é nosso dever realizar o seu sonho de voltar para as próprias casas. Com eles aprendemos o que significa ter uma fé firme e inabalável. Porque Jesus, mesmo no horror da guerra síria, nunca deixou de ser a sua rocha», diz Monteduro.
 

24 maio 2018, 15:44