Versão Beta

Cerca

Vatican News
Venezuelanos aguardam visto da PF para entrar em Pacaraima, Roraima Venezuelanos aguardam visto da PF para entrar em Pacaraima, Roraima  (AFP or licensors)

País tornou-se "terra estrangeira", denunciam bispos venezuelanos

Em mensagem dirigida ao povo venezuelano, a Conferência Episcopal denuncia a situação cada vez mais dramática no país, pedindo que "a luz e a sabedoria do Espírito Santo" possa "acompanhar-nos para contribuir a sair de modo justo, pacífico e humano da crise que atinge todos na Venezuela".

Cidade do Vaticano

No dia 19 de março, Solenidade de São José, a Conferência Episcopal da Venezuela dirigiu uma mensagem ao povo de Deus e às pessoas de boa vontade, em que também recordava a "todos os líderes políticos, sociais e econômicos", que tudo o que for feito "a cada um dos irmãos que vivem em uma situação de vida pior, é feito ao próprio Jesus".

No texto da mensagem - citado pela Agência Fides -  os bispos afirmam que a Venezuela "tornou-se uma espécie de 'terra estrangeira' para todos...pela pretensão de se querer implantar um sistema totalitário, injusto, ineficiente, manipulador, em que é regra o jogo da permanência no poder às custas do sofrimento das pessoas".

Situação sempre mais dramática

 

A situação na Venezuela é cada vez mais dramática, com escassez de comida, de remédios e de outros produtos, sem falar na falta de energia elétrica, o que impede o normal desenvolvimento da vida cotidiana, como confirmado pelo "National Survey", que revela que 9 em cada 10 famílias não têm recursos suficientes para dispor dos bens mínimos necessários e não podem pagar o seu alimento cotidiano.

Escutar o grito do povo

 

No texto da mensagem, os bispos recordam a sua declaração de 29 de janeiro, em que exortavam: "Escutem o grito do povo! Está pedindo para ser ouvido. Promessas ou pequenos presentes voltados a torná-lo escravo e tornar as pessoas improdutivas, não são suficientes. Não há tempo a perder, é tempo de uma verdadeira mudança".

Os bispos recordam que no final "seremos julgados pelo amor com que vivemos e trabalhamos", chamando a atenção dos líderes sobre o poder que têm, pois "todo o poder é efêmero: como o obtiveram, poderiam perdê-lo a qualquer momento".

Gestos de misericórdia e caridade

 

Os bispos exortam por fim "a serem realizados gestos significativos de misericórdia e caridade por aqueles que têm realmente necessidade de uma expressão de ternura e solidariedade", de forma especial de 19 a 22 de março, durante a semana que precede a Páscoa, e a manter viva a memória daqueles que foram mortos por terem reivindicado os valores da democracia no país.

"Que possa a luz e a sabedoria do Espírito Santo acompanhar-nos para contribuir a sair de modo justo, pacífico e humano da crise que atinge todos na Venezuela", concluem os bispos.

(Agência Fides)

22 março 2018, 14:50