Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Missa presidida pelo Núncio Apostólico, Dom Ettore Balestrero Missa presidida pelo Núncio Apostólico, Dom Ettore Balestrero 

Missionários da Consolata concluem Assembleia Continental

Os Missionários da Consolata no Continente Americano, realizaram sua Assembleia Pós-capitular em Bogotá, de 5 a 10 de março, com o objetivo de avançar no processo de revitalização e reestruturação da Congregação.

Bogotá

Com o objetivo de avançar no processo de revitalização e reestruturação da Congregação, os Missionários da Consolata no Continente Americano, realizaram sua Assembleia Pós-capitular em Bogotá de 5 a 10 de março.

As reflexões giraram em torno de quatro âmbitos fundamentais: discípulo missionário; comunidade fraterna; missão ad gentes e economia para a missão.

Partindo dos documentos do XIII Capítulo Geral, realizado no ano passado em Roma, a Assembleia  lançou propostas concretas para a missão no Continente e indicou diretrizes comuns para as conferências regionais do IMC que se realizam nos próximos meses.

O Conselheiro Geral para a América, Pe. Jaime C. Patias, recorda que este evento é mais uma etapa de um processo que remonta a chegada dos primeiros missionários no Continente em 1937, no Brasil.  "Queremos escolher prioridades, fazer propostas consistentes para concretizar o Projeto Missionário Continental. Sejamos ousados, corajosos e criativo”.

O encontro reuniu 35 missionários entre superiores Regionais e representantes das opções e serviços da Congregação em nove países do Continente: Argentina, Brasil, Colômbia, Peru, Equador, Venezuela, Canadá, Estados Unidos e México.

Representaram a Região do Brasil os padres Aquiléo Fiorentini, James Mwaura Mbugua, Hector Elias Betancur e Job Mbutu. Enquanto os padres Manolo Loro e Philip Njorogo Njuma, representaram a Região IMC da Amazônia.

Vinda de Roma, toda a Direção Geral IMC também participou da reunião. O Superior Geral, Pe. Stefano Camerlengo, traçou um panorama da situação da Congregação que conta com cerca de mil missionários atuando em 21 países da África, Ásia, Europa e América.

"O Instituto está vivendo um momento de graça, preparando o futuro com responsabilidade. Nisso, a criatividade é importante por que a reestruturação não faz sentido se não houver mudança de mentalidade. É importante refletir sobre a pessoa, a comunidade e a missão ", afirmou o Superior.

"No caminho da missão, a recuperação da memória é fundamental. Além disso, a comunicação ad intra e ad extra, gera comunhão. Enfim, a formação permanente é necessária para o missionário, a comunidade apostólica e a missão ad gentes”, conclui o Padre Geral.

Os mais de 280 missionários da Consolata que trabalham no Continente Americano não caminham sozinhos. Para reforçar a unidade da Congregação no mundo, os conselheiros gerais para a África, Ásia e Europa partilharam os projetos continentais dos missionários que trabalham naqueles continentes.

Convidado a identificar limites e oportunidades que a realidade apresenta aos "Discípulos Missionários da Consolata na América" com base no "Projeto Missionário Continental", o Pe. Leonidas Ortíz Lozada, que por vários anos foi Secretário Adjunto do CELAM, ajudou a Assembleia a identificar limites e oportunidades para alcançar o objetivo proposto. “Os impactos da realidade incidem sobre a vocação do missionário, a comunhão, a formação e a missão”, observou o assessor. 

Após a leitura cuidadosa dos documentos base para o trabalho, reunidos em grupos, os participantes da reunião escolheram propostas para o Continente e sugeriram linhas guias para as Conferências Regionais, nos diversos âmbitos: discípulo missionário; vida fraterna em comunidade; serviços (Animação Missionária Juvenil Vocacional); a missão (Afro-americanos, povos indígenas e Amazônia); migrantes e refugiados, periferias urbanas e existenciais. Após a aprovação as propostas serão retomadas pelas Regiões.

Os momentos de oração foram enriquecidos com as realidades e contextos de missão no Continente. Preocupa a grave situação da Venezuela onde a população está sofrendo pela escassez de produtos de primeira necessidade.

10 março 2018, 19:17