Versão Beta

Cerca

Vatican News
Sessão especial na Universidade Católica Portuguesa Sessão especial na Universidade Católica Portuguesa 

Universidade Católica ajudou a «consolidar» Portugal

O elogio foi feito pelo Cardeal Patriarca de Lisboa no passado dia 2, na sessão académica do Dia Nacional da Universidade Católica Portuguesa

Domingos Pinto - Lisboa 

O elogio foi feito pelo Cardeal Patriarca de Lisboa no passado dia 2, na sessão académica do Dia Nacional da Universidade Católica Portuguesa.

A cerimónia, inserida nas comemorações dos 50 anos da instituição, decorreu no Auditório Cardeal Medeiros, na sede da UCP, em Lisboa.

Sob o lema ‘A verdade no concreto’, o Dia da “Católica” ficou este ano marcado pela imposição de insígnias e a entrega das cartas doutorais aos doutores que obtiveram o grau em 2017.

Momento alto foi também a atribuição do título de doutor ‘Honoris Causa’ a Manuela Ferreira Leite e a Mário Pinto, que a reitora da instituição apresentou como “personalidades marcantes da sociedade portuguesa” associadas ao “crescimento da UCP”.

Manuela Ferreira Leite, economista e ex-presidente do PSD, antiga Ministra da Educação e das Finanças, é a primeira mulher a receber o mais alto grau honorífico atribuído pela Universidade Católica Portuguesa.

Por sua vez, Mário Pinto, investigador, jurista, professor e político, que dirigiu a Faculdade de Ciências Humanas da UCP, foi o primeiro presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz.

Na sua intervenção, D. Manuel Clemente, Magno Chanceler da UCP, disse que a instituição, com os seus milhares de diplomados ao longo de 50 anos de vida, desempenha um papel na sociedade que deve ser reconhecido pelo Estado.

“Também aqui se consolidou o país que agora somos”, sublinhou o também Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa que apontou a necessidade de um maior apoio, por parte do Estado, que deve “apoiar e estimular as boas iniciativas dos cidadãos”.

Preocupações de D. Manuel Clemente reafirmadas também na homilia da missa deste domingo, 4 de fevereiro, na igreja de S. Roque, em Lisboa, para assinalar o Dia da “Católica”.

O Cardeal Patriarca de Lisboa destacou neste contexto o serviço que a UCP presta” à sociedade e à igreja”, lamentando aqui a “escassa conjugação da solidariedade com a subsidiariedade” no que diz respeito “à liberdade de educação”.

A terminar esta celebração, dirigindo-se à assembleia, a reitora da UCP, Isabel Capeloa Gil, reafirmou por sua vez a necessidade de promover uma educação chamada a “construir uma cidadania ecológica”, contribuindo para um “desenvolvimento sustentável em termos económicos, políticos e societais”.

De Lisboa, a reportagem com o nosso correspondente Domingos Pinto.

Ouça a reportagem!

 

06 fevereiro 2018, 08:58