Versão Beta

Cerca

Vatican News
Manifestação nas ruas do México Manifestação nas ruas do México  (AFP or licensors)

México: dois sacerdotes assassinados em uma emboscada

Os tiros dos assassinos feriram gravemente outro padre e três outras pessoas que estavam no mesmo carro. O duplo homicídio ocorreu perto de Iguala, onde 43 estudantes desapareceram em 2014.

Cidade do Vaticano

Os tiros dos assassinos feriram gravemente outro padre e três outras pessoas que estavam no mesmo carro. O duplo homicídio ocorreu perto de Iguala, onde 43 estudantes desapareceram em 2014.

Os sacerdotes, Germán Muñiz García, Iván Añorve e Rogelio partiram na madrugada desta segunda-feira de Juliantla, onde no domingo haviam animado a festa de Nossa Senhora da Candelaria. Eles deixaram a localidade de automóvel junto com três amigos em direção de Taxco de Alarcón. Conforme relato feito por Lucia Capuzzi ao jornal italiano Avvenire, na altura de Iguala, um carro vermelho bloqueou a estradas e um comando armado disparou contra eles.

Gravíssino o terceiro sacerdote ferido

O padre Germán e o padre Iván, que se encontravam na frente, foram os primeiros a morrer, conforme confirmado pelo bispo de sua arquidiocese Chilipacingo-Chilapa, Dom Salvador Rangel Mendoza. O padre Germán, originário de Acapulco, era pároco de Mezcala, enquanto padre Iván exercia seu ministério na paróquia da Sagrada Família, no município de Las Vigas. Os outros quatro passageiros ficaram feridos: padre Rogelio encontra-se em estado grave e está internado no Hospital de Taxco.

Apelo da arquidiocese

A arquidiocese fez um apelo às autoridades para que esclareçam esses bárbaros assassinatos. O enésimo em um país que no ano passado bateu o recorde de violência, com 80 assassinatos por dia. O aumento vertiginoso foi mantido em 2018: janeiro se concluiu com 1.562 vítimas, duas vítimas por hora.

“Salto de qualidade” dos clãs que controlam o tráfico de drogas

A “narco-guerra” em curso entre os grupos criminosos, informou o jornal Avvenire, registrou, no último ano, um “salto de qualidade” provavelmente também em vista das próximas eleições presidenciais de julho. O estado de Guerrero, onde os sacerdotes foram mortos, é um dos epicentros da guerra pelo controle do narcotráfico: ali se concentram as cultivações de ópio para satisfazer a crescente demanda de heroína nos EUA. Precisamente em Iguala desapareceram, no dia 26 de setembro de 2014, 43 estudantes. Desde então, a situação piorou.

No México há um assassinato a cada 16 minutos

06 fevereiro 2018, 12:56