Cerca

Vatican News
Igreja de São José em Beijing Igreja de São José em Beijing  (AFP or licensors)

Mais de 48 mil batizados na China em 2017

Os dados, ainda parciais, são da Sociedade Cultural "Faith".

Cidade do Vaticano

No ano de 2017 foram registrados na China Continental 48.556 batismos.

As estatísticas foram divulgadas às vésperas do Ano Novo chinês pela Sociedade Cultural “Faith”, mas “ainda não são completas” – como precisa o organismo – pela falta de dados sobre as comunidades católicas que vivem em áreas rurais mais remotas.

Não obstante isto, os dados “espelham a vitalidade e o dinamismo missionário de uma comunidade que vive a fé em plenitude”.

Segundo os dados enviados à Agência Fides, a  Província de He Bei, bastião do catolicismo chinês, encabeça mais uma vez a lista com 11.899 batizados.

A comunidade de Xing Tai teve 3.645 batizados e a Diocese de Han Dan 3.059. Ademais, também uma pequena comunidade na Província de Hai Nan teve 38 batizados.

Batismo nas regiões muçulmanas e budistas

 

Em regiões com maioria de população muçulmana, como a administração autônoma de Xin Jiang (China Ocidetnal), foram registrados 66 batismos, enquanto na Província de Ning Xia foram 128 e em Qing Hai 54.

Também a minúscula comunidade católica no Tibet, mergulhada no ambiente budista tibetano, acolheu 11 novos católicos.

Na Diocese de Pequim, por sua vez, foram 1.099 os batizados.

Um convite para fortalecer a fé

 

Segundo a Faith Cultural Society, “não obstante as cifras encorajadoras e o grande empenho missionário nas comunidades locais em toda a China, devemos sempre nos sentir chamados a um renovado empenho missionário. A evangelização na China é uma longa e difícil estrada a ser percorrida”.

Ao mesmo tempo, é reiterado que as estatísticas publicadas representam “um convite e um apelo, porque devemos fortificar a nossa fé e seguir sempre em frente em nosso caminho em direção a Cristo”.

Crescimento da Igreja na China

 

“Faith” convida por fim toda a comunidade a melhorar e a manter sempre em ordem os registros paroquiais e os arquivos, a fim de possibilitar a permanência de dados corretos, que possam contar com clareza a história da própria comunidade, mas também de toda a Igreja na China.

Os dados sobre batismos – conclui “Faith” – constituem também um modo para “constatar o crescimento da Igreja e a obra de evangelização realizada por Cristo”.

*Agência Fides

20 fevereiro 2018, 11:18