Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Daca durante visita do Papa Francisco Daca durante visita do Papa Francisco  (AFP or licensors)

Vocações sacerdotais em aumento em Bangladesh

O Seminário Menor de St John na Diocese de Sylhet (nordeste do país), recém aberto, tem capacidade para receber 60 seminaristas.

Cidade do Vaticano

Continua a crescer o número de vocações religiosas em áreas tribais de Bangladesh, onde nos dias passados foi aberto um Seminário na Diocese de Sylhet (nordeste do país).

Trata-se do Seminário Menor de St John, financiado pela Diocese coreana de Swon, com capacidade para receber 60 seminaristas.

Atualmente são 22 os jovens aspirantes ao sacerdócio, para difundir a mensagem cristã no país e no mundo.

“Para os seminaristas – enfatiza o bispo de Sylhet, Dom Bijoy Nicephorus D’Cruze – será uma grande oportunidade pregar o Evangelho nesta área”.

Incentivar as vocações

 

Para fazer compreender melhor aos jovens a vida sacerdotal, a Igreja em Bangladesh promove há alguns anos diversas iniciativas, que envolvem todas as dioceses do país.

O objetivo é informar os jovens no que consiste a vida religiosa e sacerdotal, o que se faz e como se serve.

Sacerdotes e bispos encorajam todos a seguir este percurso, e eventos similares têm tido uma excelente resposta, tanto que os seminaristas, entre as populações tribais, estão em contínuo aumento.

Mais sacerdotes para a obra

 

A cerimônia de inauguração do Seminário Menor de St John, realizou-se na presença do arcebispo George Kocherry, núncio apostólico em Bangladesh.

Centenas de fiéis católicos participaram, além de Dom D’Cruze, 22 sacerdotes e cerca de 30 religiosas.

Para o país de maioria islâmica, a abertura de um novo seminário representa um evento muito significativo. Demonstra, de fato, que em Bangladesh as vocações estão em aumento, na contramão da tendência do que ocorre no mundo ocidental.

“Precedentemente – explicou à Asianews padre Lawrence Toppo, novo reitor do Seminário – os nossos jovens entravam no Seminário Menor de Bandhura (Daca), a cerca de 300 km de distância”.

“Podíamos enviar somente cinco jovens, agora, pelo contrário, podemos acolher até 15 jovens a cada ano. No futuro teremos mais sacerdotes que trabalharão para pregar a mensagem divina”.

Contato com famílias de origem

 

“Na diocese de sylhet – sublinhou Dom D’Cruze – cerca de 98% dos católicos é de origem tribal e vive em condições de extrema necessidade. Para os tribais é difícil sobreviver em Daca, porque têm língua e cultura diferentes”.

“Ademais – acrescenta -  Sylhet é muito distante da capital. Muitos pais não têm dinheiro suficiente para mandar os próprios filhos estudar. Agora será mais fácil para eles frequentar o seminário, e uma vez ao mês os parentes poderão visitá-los. Os jovens, assim, permanecerão em contato com suas famílias”.

“Espero que este seminário tenha grande impacto na comunidade” – disse o prelado - que a cada ano participa ativamente no financiamento de seminários e de escolas de formação católica.

Doadores

 

A construção do novo seminário, de fato, foi possível graças ao financiamento da Diocese de Suwon, na Coreia do Sul, da Santa Sé e de algumas doações locais.

Na Diocese de Sylhet trabalham 16 sacerdotes e trinta irmãs. Os primeiros católicos a chegarem no local, há 60 anos, forammissionários oblatos de Maria Imaculada (Omi). Hoje os católicos são mais de 19 mil.

Local propulsor de toda a Diocese

 

Para Dom D’Cruze, o Seminário St John representa “o coração de uma Diocese. Aqui os jovens vem para se preparar para trabalhar para Deus”.

A Diocese foi ereta em 2011. “Quando iniciamos – recordou o bispo – recebemos o mandato papal para construir o nosso seminário. Hoje, finalmente, o concluímos. Será o lugar propulsor da diocese e graças à sua atividade, a Igreja local dará ainda mais sacerdotes”.

Presença católica no país

 

Em todo o Bangladesh existem 51 institutos religiosos, entre seminários e casas de formação, e atuam mais de 300 sacerdotes e mais de 1.100 religiosas.

29 janeiro 2018, 17:01