Versão Beta

Cerca

Vatican News
Pedro Vaz Patto, Presidente da Comissão Nacional de Justiça e Paz de Portugal Pedro Vaz Patto, Presidente da Comissão Nacional de Justiça e Paz de Portugal 

Portugal: Migrantes e refugiados “uma oportunidade para a Paz”

É a convicção do Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz sublinhada ao Vatican News a propósito da mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz.

Francisco Domingos Pinto - Lisboa

É a convicção do Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz sublinhada ao Vatican News a propósito da mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz.

Uma mensagem dedicada aos migrantes e refugiados que se assinala neste 1º dia do ano.

“Devemos sublinhar a oportunidade que esta mensagem tem para o nosso país, e o eco particular que deve ter”, diz Pedro Vaz Patto que considera que “a maneira como acolhemos os estrangeiros deve ser feita à imagem daquilo que nós gostaríamos que sucedesse aos portugueses que emigram para o estrangeiro”.

“A paz é o que buscam muitos dos migrantes e refugiados: os que fogem da guerra, mas também os que fogem da fome ou da opressão”, assinala o organismo católico, numa nota onde alerta para o aumento de “correntes hostis” a migrantes e refugiados.

É preciso encarar este fenómeno não como uma ameaça, mas como uma oportunidade para a paz”, sublinha Vaz Patto, reafirmando o sentido da nota que chama a atenção dedicada pelo Papa às migrações que podem ajudar ao “desenvolvimento quer dos países de origem dos migrantes, quer dos países de destino”.

“Acolher, proteger, promover e integrar: são os quatro verbos que devem inspirar as políticas dos governos e as ações das sociedades de acolhimento- já o disse o Papa Francisco em várias ocasiões”, acrescenta a CNJP que recorda os dois pactos globais sobre migrações e refugiados que se espera venham a ser aprovados em 2018 no âmbito das Nações Unidas.

“Não temos que recear que uma cultura perca a sua identidade quando entra em contacto com outras. Pode enriquecer-se com isso se, de fato, houver uma consciência clara e madura dos seus princípios e valores”, diz o presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz em entrevista ao nosso correspondente Domingos Pinto.

Migrantes e refugiados “uma oportunidade para a Paz”

 

 

 

02 janeiro 2018, 15:08