Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Muitos imigrantes que chegam na Europa pedem para ser batizados Muitos imigrantes que chegam na Europa pedem para ser batizados 

75% dos batismos de adultos na Áustria em 2017 são de muçulmanos

As ondas de refugiados também levaram a um aumento do número de muçulmanos que pedem para ser batizados.

Cidade do Vaticano

750 adultos foram batizados na Áustria em 2017, segundo dados do Escritório de Coordenação para o Catecumenato da Conferência Episcopal Austríaca. Destes – cerca de 75% são de muçulmanos convertidos ao cristianismo.

O número de batizados cresceu significativamente após as ondas de refugiados a partir de 2014/2015: foram 322 em 2015 e 433 em 2016,

Preparação profunda

 

Segundo o responsável pelo setor, Ulrike Dostal, “o motivo principal para o aumento é o elevado número de candidatos ao Batismo chegados na Áustria como refugiados - vindos de países muçulmanos - mas também é elevado o número de quem já vivia no país há muitos anos”.

Naturalmente – observa Dostal – “o aumento não continuará no futuro no mesmo ritmo. A preparação ao Batismo prevê que os adultos cheguem à Vigília Pascal e recebam os três Sacramentos de iniciação cristã: Batismo, Crisma e Primeira Comunhão”.

Pedidos de Batismo: responsabilidade da Igreja

 

As Igrejas Católica e Evangélica contestaram a prática adotada pelas autoridades nos “questionários sobre integridade” apresentados a quem solicita asilo, para avaliar a real intenção de ser batizado e não somente um meio para obter facilidades.

Foi dito que muitos fiéis não souberam responder, mas as Igrejas levam a conversão muito a sério e a intensa preparação e  todas as reflexões associadas ao Batismo, desencorajariam aquelas intenções consideradas “por conveniência”.

“Não o Estado, mas a Igreja deve examinar a seriedade do desejo de catecumenato e de decidir sobre a legitimidade do Batismo”, sublinhou o conselheiro paroquial protestante Karl Schiefermais.

(Agência Sir)

17 janeiro 2018, 13:34