Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Comunidade copta no Egito tem sido alvo de constantes ataques Comunidade copta no Egito tem sido alvo de constantes ataques do EI  (AFP or licensors)

Cristão copta assassinado no Sinai

Três homens mascarados assassinaram um cristão de 35 anos. Autoridades egípcias atribuem a ação à terroristas da facção Estado Islâmico

Cidade do Vaticano

A violência contra os cristãos coptas no Egito não dá trégua. No domingo, 14, homens armados mataram um cristão no norte da Península do Sinai, informaram funcionários dos órgãos de segurança egípcios.

Trata-se de Bassem Attallah, de 35 anos, que foi atacado por três homens mascarados, como declarou sob anonimato à Agência AP um oficial egípcio.

O atentado ainda não foi reivindicado, mas os investigadores não hesitam em afirmar ser obra de terroristas do Isis.

De fato, a modalidade do ataque é semelhante àquela normalmente usada pela organização de Al Baghdadi, muito ativa na região do Sinai.

A organização terrorista matou mais de cem cristãos no Egito desde dezembro de 2016.

Os últimos graves ataques ocorreram em dezembro contra a comunidade copta em Helwan, sul do Cairo.

No ataque contra uma igreja foram mortas dez pessoas, entre as quais dois agentes de segurança e um vigia particular.

Outros ataques de menor gravidade foram registrados nas últimas semanas.

“A batalha contra a violência e o terrorismo se faz com o diálogo”, havia declarado o Patriarca copta ortodoxo Tawadros II, ao recordar as vítimas do ataque no Cairo.

15 janeiro 2018, 16:49