Busca

Vatican News
Peregrinação ao Santuário de Cacheu (Guiné-Bissau) Peregrinação ao Santuário de Cacheu (Guiné-Bissau) 

Guiné-Bissau. Cancelada a peregrinação nacional a Cacheu devido à pandemia da Covid-19

Não terá lugar este ano, 2021, a tradicional peregrinação nacional ao Santuário Mariano de Cacheu por motivos da pandemia de Covid-19 - a decisão é dos Administradores das duas Dioceses do País (Bissau e Bafatá).

Casimiro Jorge Cajucam – Rádio Sol Mansi, Bissau

Os Administradores apostólicas das Dioceses de Bissau e Bafatá, na Guiné-Bissau, salientam numa nota divulgada com a data de 18 de novembro de 21, que “não há sinais promissores que possam, de facto, encorajar, com todo o realismo, a retoma normal da peregrinação nacional e anual como gostaríamos”.

No documento assinado por Dom José Lampra Cá, Administrador Apostólico da Diocese de Bissau, e pelo Padre Lúcio Brentegani, Administrador Diocesano da Diocese de Bafatá, os dois responsáveis justificam que segundo as informações obtidas o número de infeções tende a aumentar e como medida de prevenção a peregrinação não terá lugar.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

Em entrevista à Rádio Vaticano, o Administrador Diocesano da Diocese de Bafatá, Padre Lúcio Brentegani, em nome dos dois, reforça o que estava expresso na nota e acrescenta que a decisão foi tomada depois terem conversado com as autoridades sanitárias do País…

 “Infelizmente este ano devido ao aumento de casos de Covid na Guiné-Bissau depois de termos falado com as autoridades sanitária, achámos não ser oportuno organizar esta peregrinação nacional onde se juntam muitas pessoas e, entendemos que é melhor que cada comunidade possa celebrar localmente esta festa”, sublinhou.

A peregrinação este ano não, o foco agora é implorar a Deus para que essa pandemia acabe o mais depressa possível, sublinhou o Administrador diocesano da Diocese de Bafatá, que ainda assim lembra desse tempo da Igreja sinodal …

”Que Deus nos ajude a sair rapidamente dessa situação precária da pandemia sem perder a possibilidade de poder celebrar juntos e continuando a rezar pelo fim da pandemia por forma a podermos retomar ao tempo de celebração juntos, de estar juntos e de andar juntos”.  Continuando dizendo “queremos valorizar também este tempo de sínodo para que a nossa Igreja possa crescer seguindo jesus”, concluiu.

O ano passado, a Igreja Católica também cancelou a tradicional peregrinação devido à pandemia do novo Coronavírus. Na Guiné-Bissau ocorreram um total acumulado de 6.434 infeções e 146 mortes relacionadas ao Coronavírus registradas no País desde o início da pandemia.

A nota dos Administradores das duas Dioceses termina com um reconhecimento em como é “muito importante” a peregrinação a Cacheu para os cristãos, porquanto constitui uma espécie de “abastecimento moral e espiritual”, permitindo os fiéis testemunharem com a integridade de vida e perseverança no tempo, a autenticidade e a profundidade da fé em Jesus Cristo.

A cidade de Cacheu, no norte da Guiné-Bissau, a cerca de 105 quilómetros de Bissau, tinha o santuário de Nossa Senhora da Natividade, a primeira igreja católica do País cuja evangelização se iniciou em 1590, segundo os dados de arquivo da Diocese de Bissau. A peregrinação mariana nacional a Cacheu teve início em 1984 e nela participam milhares de peregrinos das duas Dioceses.

24 novembro 2021, 13:35