Busca

Vatican News
Dom Hubertus Matheus Maria van Megen, Núncio Apostólico no Quénia Dom Hubertus Matheus Maria van Megen, Núncio Apostólico no Quénia 

Quénia. Inaugurada Catedral de Bungoma. Núncio:"lugar de oração, não de política”

Um lugar sagrado onde deve ressoar a Palavra de Deus, e não a palavra política, foi a advertência reiterada pelo Núncio Apostólico no Quénia, Dom Hubertus Matheus Maria van Megen, que nos últimos dias presidiu ao rito de consagração da nova Catedral de Bungoma, dedicada a "Cristo Rei".

Cidade do Vaticano

“As nossas igrejas - disse Dom Hubertus durante a homilia - nunca deveriam ser utilizadas para encontros políticos, mas devemos ter presentes as palavras de Cristo que dizia: 'Não façais da casa de meu Pai um mercado' (Jo 2,16)". No “mais sagrado dos lugares sagrados”, portanto, advertiu o prelado, “a única palavra que deveria ser pronunciada é a Palavra de Deus, Senhor desta Casa. Nenhum debate político, nenhum comércio, nenhuma discussão deve acontecer neste lugar”.

Oiça aquia reportagem e partilhe

Agradecendo, em seguida, a todos os que contribuíram com "o seu árduo trabalho" para a construção da Catedral, uma das maiores do Quénia, com uma capacidade para 4 mil pessoas, Dom van Megen sublinhou: "Cada parte do edifício representa aqueles que participaram na sua realização. As pedras, as paredes, os pilares, as janelas, os azulejos e, claro, o altar, representam todos vós; o fruto do vosso trabalho está aqui dentro”.

Por sua vez, o Administrador Apostólico da diocese de Bungoma, Dom Joseph Obanyi, agradeceu aos fiéis que, disse, colocaram "os seus corações e as suas mente no projecto até à sua conclusão". “Como diz São Paulo – enfatizou o prelado - há quem planta, há os que regam, e depois os que capinam, e por último os que colhem os frutos”. “E eu - acrescentou - sou um daqueles que se encontraram a recolher o que foi plantado. Por isso, quero realmente expressar a minha gratidão a todos os que colocaram o seu coração e a sua mente neste trabalho."

Na mesma linha também se expressou John Simiyu, responsável da Comissão de Construção da Catedral, recordando que o projecto nasceu há sete anos, em 2014, e sublinhando que, em todo caso, apesar do longo tempo necessário para "construir este sonho", no final a conclusão da Catedral foi possível graças às "doações desinteressadas dos fiéis". As comunidades cristãs de base, de facto, activaram uma campanha de arrecadação de fundos que rendeu mais de 130 milhões de xelins (equivalentes a cerca de 1,3 milhões de dólares), necessários para a conclusão das obras.

17 maio 2021, 15:46