Busca

Vatican News
Bispos do Burkina Faso e Níger em Assembleia Plenária Bispos do Burkina Faso e Níger em Assembleia Plenária 

Burkina Faso. Crescem as vocações mas faltam infra-estruturas para a formação

Aumentam as vocações e os seminaristas em Burkina Faso, confirmou a última assembleia plenária da Conferência Episcopal do Burkina-Níger, que teve lugar de 11 a 15 de Janeiro em Ouagadougou e que, como de costume na sessão de janeiro, foi dedicada à formação dos futuros sacerdotes e aos seminários, e este ano, em particular, ao Seminário maior de São Pedro e Paulo de Kossoghin.

Cidade do Vaticano

Os reitores dos Seminários de São Pedro Claver de Koumi, de São João Baptista de Wayalgè e de Sant'Ireneo de Toesê também intervieram dando aos Bispos os seus relatórios. Surgiram questões e problemas comuns, e se os bispos se alegraram com o crescente número de seminaristas, foi destacado que são necessárias infra-estruturas adequadas tanto para o alojamento como para a formação dos seminaristas. São necessários edifícios residenciais para os seminários de Toesê, em Koupela, e de São Pedro e São Paulo, em Ouagadougou, onde, entre outras coisas, é necessária a construção de uma nova capela, pois a existente agora é muito pequena para a comunidade .

D. Joseph Sama, bispo de Nouna, apresentou o relatório da sua visita ao Seminário de Toesê, que decorreu de 15 a 18 de dezembro de 2020. O prelado informou que, apesar da falta de infraestruturas e eletricidade e do número insuficiente de professores, a vida no seminário vai bem graças à boa organização da casa, que encoraja os jovens a assumir as suas responsabilidades e a autodisciplina.

Durante os trabalhos da plenária, os Bispos falaram sobre a emergência do coronavírus e, perante o crescimento das infecções, na sua declaração final quiseram lembrar aos fiéis que as directrizes e indicações divulgadas em 12 de março do ano passado ainda estão em vigor. Por este motivo os Bispos convidam todos a respeitá-las, juntamente com as medidas ordenadas pelas autoridades do País, a fim de melhor contribuirem na luta contra a pandemia.

Uma delegação de quatro Bispos também foi recebida pelo Presidente da República, Roch Marc Christian Kaboré, reeleito para um segundo mandato de cinco anos no passado dia 22 de novembro. Os Bispos garantiram ao Chefe de Estado a sua oração para que os projectos de reconciliação e coesão social tenham um êxito feliz para garantir ao País a unidade necessária para enfrentar os grandes desafios do desenvolvimento penalizados em particular pela insegurança e a pandemia da Covid-19.

25 janeiro 2021, 10:50