Busca

Vatican News
Deslocados internos em Cabo Delgado (norte de Moçambique) Deslocados internos em Cabo Delgado (norte de Moçambique)  (AFP or licensors)

Moçambique: SADC preocupada com ataques terroristas em Cabo Delgado

A Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) convocou para janeiro de 2021 a cimeira extraordinária para discutir os ataques armados na provincia de Cabo Delgado, a norte de Moçambique. A informação foi tornada pública, esta segunda-feira (14), pela Ministra moçambicana dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo.

Hermínio José – Maputo, Moçambique

A decisão por uma cimeira da SADC no próximo mês de janeiro foi tomada durante a reunião de consultas de alto nível daquele organismo regional, em Maputo. Além do Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, participaram da reunião os presidentes Cyril Ramaphosa, da África do Sul, Mokgweetsi Masisi, do Botswana, e Emmerson Mnangagwa, do Zimbabué, bem como a vice-Presidente da Tanzânia, Samia Sulihu.

Segurança em Moçambique

"A reunião de consultas de alto nível acordou que a cimeira vai abordar a questão da segurança em Moçambique", frisou Verónica Macamo, momentos após o fim do encontro na Presidência da Republica, em Maputo, sem avançar mais detalhes sobre a cimeira.

“Não há paz, sem reconciliação”

Entretanto, a Conferência Episcopal de Moçambique, órgão representativo de todos os bispos moçambicanos, advoga que qualquer processo de paz, passa necessariamente pela reconciliação. E segundo, Dom Luiz Lisboa, secretário-geral da Conferência Episcopal de Moçambique e igualmente, bispo da diocese de Pemba, os ataques em Cabo Delgado, são uma clara demonstração de ausência de reconciliação, em Moçambique.

Ataques fazem mais de dois mil mortos

De referir que a província de Cabo Delgado está sob ataque de insurgentes desde 2017. Algumas das incursões foram reivindicadas pelo grupo terrorista "Estado Islâmico". A violência está a provocar uma crise humanitária com mais de duas mil mortes e 560 mil pessoas deslocadas, sem habitação, nem alimentos, concentrando-se sobretudo na capital provincial, Pemba.

Oiça aquia reportagem e partilhe
16 dezembro 2020, 09:49