Busca

Vatican News
Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, na sede da CPLP Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, na sede da CPLP 

Guiné-Bissau: Presidente Embaló: Guineenses vão passar a sentir presença da CPLP

Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, visitou a sede da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) em Lisboa, na sua primeira deslocação oficial a Portugal.

Domingos Pinto - Lisboa   

"É a casa de todos nós. A Guiné-Bissau é um país membro fundador da CPLP e posso garantir-vos que as pessoas na Guiné-Bissau vão sentir a presença dessa que é a nossa comunidade".

Palavras de Sissoco Embaló no passado dia 9 de outubro na sede da organização, em Lisboa, após ter sido recebido em sessão solene pelo secretário-executivo, Francisco Ribeiro Telles, e pelos representantes permanentes dos nove Estados-membros da organização.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

Uma deslocação à CPLP integrada na visita oficial de três dias do presidente guineense a Portugal, onde teve encontros com o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa e o 1º Ministro, António Costa, e que ocorre depois da visita de trabalho à Guiné-Bissau efetuada em setembro passado pelo chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva.

"Dantes falava-se muito na Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), CEDEAO, CEDEAO... e ninguém falava na CPLP, mas, enquanto homem lusófono, as pessoas vão passar a ouvir mais CPLP", disse Sissoco Embaló numa breve declaração aos jornalistas.

"Sem esquecer que fazemos parte das duas organizações, esta é a organização-mãe. A nossa língua é o português", sublinhou o Presidente da Guiné-Bissau que assegurou que o seu país "passará a ser a porta de entrada de Portugal junto dos países da CEDEAO".

Uma explicação a propósito do encontro que teve também no âmbito desta vista a Portugal com investidores portugueses.

12 outubro 2020, 08:27