Busca

Vatican News
Cidadãos do Gana durante a audiência no Vaticano Cidadãos do Gana durante a audiência no Vaticano  (AFP or licensors)

Gana. Caritas: prevenir conflitos e educar para a paz em vista às eleições

Reunir as organizações religiosas do Gana para prevenir a violência pré-eleitoral e promover a reconciliação nacional: é o objectivo da Cáritas do País, em vista às eleições marcadas para o próximo dia 7 de dezembro.

Cidade do Vaticano

Vão se desafiar na votação Nana Akufo-Addo, presidente cessante e representante do Novo Partido Patriótico, e John Dramani Mahamal, líder da oposição pertencente ao grupo do Congresso Nacional Democrático. Mas o clima que se regista há já algum tempo é muito tenso, devido a agressões perpetradas por vigilantes, pagos pelos partidos, contra candidatos do lado oposto.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

"O vigilantismo é ilegal e é uma ameaça à paz", afirma numa nota Samuel Zan Akologo, Secretário-Geral da Caritas do Gana. Daí a sugestão de realizar a iniciativa inter-religiosa Ethics, ou seja, "Educar, formar e cuidar dos indivíduos, as comunidades e a sociedade contra o vigilantismo nas eleições do Gana". Iniciada pela Igreja Católica juntamente com cristãos pentecostais, carismáticos e com os muçulmanos, Etichs quer combater a violência pré-eleitoral "através da persuasão moral dos jovens por parte de líderes religiosos com autoridade e oferecendo oportunidades de trabalho remunerado para aqueles que desejam empenhar-se numa ocupação digna”.

Pôr em prática ensinamentos da fé

Akologo recorda ainda a lei 999/2019 contra o vigilantismo, segundo a qual “os actos de violência criminal devem ser processados como tais”, o que implica também a promoção de “uma nova orientação cultural” que parte “da família e da escola” e que visa “valorizar os justos valores”. E não só: Akologo reafirma a importância de pôr em prática os ensinamentos da fé, porque “não se trata apenas de ir à igreja ou à mesquita ou de recitar orações, trata-se sim de praticar a fé agindo no âmbito da sociedade”.

Combater ambição de poder, criar empregos para os jovens

O Secretário-Geral da Caritas do Gana exorta igualmente a combater a ambição de poder "que se aninha nas mentes e nos corações das pessoas": "A violência eleitoral perpetrada por membros de partidos políticos adversários ou por alguns agentes associados à delinquência e banditismo insere-se neste contexto de ganância generalizada de poder". Um contexto difícil, portanto, agravado também pelo elevado número de jovens desempregados. Daí o apelo daquele Organismo caritativo ao governo para que crie “empregos” e ajude as jovens gerações a formar-se adequadamente. Investir na sua educação, conclui Akologo, "traz, de facto, benefícios a longo prazo para o indivíduo, a família e a nação em geral, enquanto que a curto prazo pode reduzir a violência juvenil”.

Contrastar uso da violência, não aos políticos egoístas e ambiciosos

Recorde-se que já no fim de julho, a Conferência Episcopal de Gana, numa declaração assinada pelo presidente, o arcebispo D. Philip Naameh, fizera um apelo a todas as forças políticas para contrastarem o vigilantismo e o uso da violência. Um outro apelo havia sido dirigido à polícia, convidando-a realizar o seu trabalho com profissionalismo e imparcialidade para evitar as desordens, enquanto os jovens haviam sido exortados a não se fazer instrumentalizar por políticos "egoístas e ambiciosos”.

07 agosto 2020, 11:48