Busca

Vatican News
Bispos do Sudão e Sudão do Sul em visita "ad limina apostolorum" Bispos do Sudão e Sudão do Sul em visita "ad limina apostolorum" 

Sudão do Sul. Assassinadas 3 meninas. Bispo: tutelar direito à vida, dom de Deus

Choque, perplexidade, tristeza, clamor: são as reacções suscitadas, no Sudão do Sul, pela notícia do brutal assassinato de três jovens irmãs, ocorrido no último sábado em Juba. A Igreja local, através do Arcebispo de Juba, D. Stephen Ameyu Martin Mulla, exprimiu a sua consternação pelo sucedido.

Cidade do Vaticano

No sábado, dia 1 de agosto, os corpos sem vida das três jovens irmãs Lydia, Blessings e Nura Edward, respectivamente de 9, 7 e 4 anos de idade, foram encontrados numa poça de sangue na sua casa. Segundo as primeiras reconstruções, as três vítimas estavam sozinhas em casa, pois a mãe se havia ausentado momentaneamente. O culpado e o motivo do assassinato ainda permanecem desconhecidos.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

O Arcebispo de Juba, D. Stephen Mulla, exprimiu a sua dor por este acto de violência: “Estou profundamente entristecido - disse o prelado, citado pela agência Aci Africa - porque os menores não devem ter nenhum inimigo neste mundo". Daí o convite à população para tutelar “mulheres e crianças”, categorias entre as mais vulneráveis ​​e “as mais inocentes”. "Ninguém tem o direito de matar outra pessoa - reiterou o Arcebispo de Juba - porque a vida é um dom precioso de Deus”.

Na mesma linha se exprimiu D. Eduardo Hiiboro Kussala, Bispo de Tombura-Yambio: “É uma notícia verdadeiramente comovente – disse o prelado – peçamos a paz e a misericórdia de Deus para a nossa sociedade e a nossa nação, unidos em oração neste momento de luto”. E dirigindo-se, em seguida, às forças de ordem e segurança, o prelado exortou-os a encontrar os autores do crime e submetê-los a um justo julgamento, para que tal violência não aconteça "nunca mais". "O componente fundamental da dignidade humana de uma pessoa é o direito à vida – acrescentou D. Kussala - e ninguém tem o direito de eliminá-lo ".

Finalmente, D. Eduardo Kussala convidou todos a rezar pelas vítimas, os seus familiares, e as autoridades" para que possam defender todos aqueles que estão confiados aos seus cuidados", mas também pelos perpetradores de crimes, para que compreendam "o profundo valor de cada vida humana”.

07 agosto 2020, 11:55