Busca

Vatican News
Seminário inter-religioso na Catedral de Maputo, Moçambique Seminário inter-religioso na Catedral de Maputo, Moçambique 

Moçambique: Líderes religiosos pedem reabertura de igrejas em meio ao Covid-19

Líderes de diferentes Confissões Religiosas em Moçambique mantiveram, nesta quarta-feira, 1 de julho, um encontro com o Presidente da República Filipe Jacinto Nyusi, para debater a posssibilidade de reabertura dos lugares de culto religiosos em meio a Covid-19.

Hermínio José – Maputo, Moçambique

O Chefe de Estado disse que pediu mais uma consulta aos Líderes religiosos, para falar do ponto da situação do Estado de Emergência, já pelo terceiro mês consecutivo, aflorar a questão da segurança no País, concretamente os confrontos armados em Cabo delgado, norte do País, e no centro, bem como avaliar a possibilidade de retoma dos cultos religiosos colectivos.

Reabertura de Igrejas em observância às medidas de prevenção

Na sua intervenção, os líderes religiosos propuseram ao Presidente Nyusi a reabertura das igrejas e mesquitas, mediante um conjunto de medidas para evitar a propagação do novo Coronavírus, incluindo a limitação do número de participantes e o reforço das medidas de prevenção.

Segundo a Ministra de Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, os Líderes religiosos trouxeram uma proposta clara. "A proposta que eles trazem é, na verdade, um pedido para que haja um tratamento igual relativamente às outras actividades em que já houve um relaxamento das limitações", declarou a Ministra.

Possíveis limitações com a retoma de cultos colectivos

Ainda de acordo com a governante, os religiosos assumem  que uma vez retomados os cultos colectivos é  preciso limitar, por exemplo, o número de participantes por culto ou por evento, o que é pacífico, explicando que a limitação pode ser em função do espaço ou mesmo de um número concreto, independentemente do espaço de concentração.

De referir que na sequência da Covid-19, já com perto de 1000 casos positivos registados e mais de duzentos recuperados, Moçambique viu decretado pelo Presidente, pela terceira e última  vez o Estado de Emergência, sendo entre outras medidas anunciadas, a suspensão de cultos religiosos colectivos.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

 

 

02 julho 2020, 11:02