Busca

Vatican News
FILE PHOTO: Health worker injects a woman with an Ebola vaccine during a trial in Monrovia Vacinação contra Ébola 

RDC de novo a braços com a epidemia de Ébola

Uma menina de 15 anos está entre as cinco vítimas da nova epidemia de Ébola em Mbandaka, capital da Província do Equador, noroeste da República Democrática do Congo.

Isabella Piro / Dulce Araújo - Cidade do Vaticano

Este novo surto de Ébola veio juntar-se ao COVID-19 e ao sarampo. Essas mortes aconteceram entre 18 e 30 de Maio findo. Outras quatro pessoas que contraíram o coronavírus – e que tiveram contacto com os defuntos, um deles filho de um defunta - estão a ser acompanhadas do ponto de vista médico numa unidade de isolamento no Hospital Wangata em Mbandaka.

Este novo surto de Ébola na Província do Equador chega num momento em que a RDC se estava a aproximar do fim da actual epidemia na parte oriental do país, onde provocou a morte de 2.134 pessoas e as contagiadas foram 3.317. A Província do Equador já tinha passado por uma breve epidemia em Maio de 2018, com a morte de 33 pessoas e 54 contagiadas.

A Ébola tem uma taxa média de mortalidade que vai de 50 a 60%, mas pode chegar a 78% em crianças com menos de cinco anos. A RDC está a combater também o COVID-19, que até 31 de Maio já tinha infectado 3.070 pessoas em sete províncias.

O UNICEF está a trabalhar ao lado do Governo e de todos os parceiros na resposta à epidemia de Ébola, com materiais, rastreiro da comunidade, serviços higiénicos, apoio aos órfãos e outras crianças atingidas – disse Edouard Beigbeder, Representante do UNICEF na RDC. Ele disse que desta vez foi atingido, proporcionalmente, um número maior de crianças em relação às epidemias anteriores. Daí a necessidade de garantir a prevenção entre as crianças. O UNICEF deslocará 36 pessoas para trabalhar nessa Província na assistência, sensibilização e prevenção de Ébola nas escolas e nos centros de saúde.

03 junho 2020, 09:41