Vatican News
2020.01.27 Arcivescovo Kaigama di Abuja, Nigeria 2020.01.27 Arcivescovo Kaigama di Abuja, Nigeria 

Arquidiocese de Abuja inaugura Comité para Proteçao de Menores

“Comité para a tutela dos menores e das pessoas vulneráveis” – é assim que se chama o recém-inaugurado organismo na Arquidiocese de Abuja, na Nigéria, na presença de D. Ignatius Kaigama.

Dulce Araújo - Cidade do Vaticano 

Segundo informações difundidas pelo site da RECOWA-CEREAO (Conferência  Episcopal Regional da África Ocidental), foram divulgadas as linhas de orientação do recém-criado organismo, na base da qual está o Motu próprio do Papa Francisco “Vos estis lux mundi”. Nela o Pontífice estabelece que todas as dioceses do mundo são chamadas a dotar-se, até Junho de 2020 de “um ou mais sistemas estáveis e facilmente acessíveis ao público para apresentar sinalizações” relativas a abusos sexuais cometidos por clérigos ou religiosos, o uso de material pornográfico e a cobertura dos mesmos abusos.

Ao inaugurar os trabalhos do Comité, D. Kaigama sublinhou que o mesmo terá a tarefa de vigiar sobre a actuação correcta das referidas linhas de orientação. Estas contém também uma reflexão sobre a idoneidade ao ministério de qualquer pessoa no seio da Arquidiocese.

“Os objectivos principais deste processo são a segurança dos menores, a protecção das pessoas vulneráveis, o bem-estar da comunidade e a integridade da Igreja” – frisou o prelado.

Por seu lado, o Presidente do Comité, Padre Christopher Nnubia, agradeceu pela “delicada incumbência” a que foi chamado e sublinhou: “Com Deus da nossa parte, nos esforçaremos por levar avante a nossa tarefa a favor da salvação das almas dos menores e das pessoas vulneráveis.”

Recorde-se que o Motu próprio do Papa Francisco não especifica em que consistem os “sistemas” de que se devem dotar as dioceses do mundo. Isto para deixar à Igreja local a liberdade de encontrar a forma melhor de actuação, que pode ser diferente conforme as diversas culturas e condições territoriais. O objectivo é fazer com que, quem passou por algum abuso, possa recorrer à diocese na certeza de ser acolhido, protegido de represálias e que a sua sinalização será tida na máxima consideração.

02 junho 2020, 12:50