Busca

Vatican News
2020.04.09 popolazione in Angola in cerca di gas in piena emergenza coronavirus Angola - populações à procura de gás de cozinha em plena emergência do coronavírus 

Angola - distribuição de cesta básica a famílias carenciadas

No âmbito da parceria entre o Estado angolano e a Igreja Católica e no quadro do programa do executivo e da Comissão Interministerial para o Combate a prevenção da Covid 19, deu – se inicio nesta semana a distribuição de cesta básica as famílias carenciadas.

Anastácio Sasembele - Luanda

Depois da declaração de estado de emergência no passado dia 27 de Março, o governo angolano, em parceria com a Igreja católica decidiu avançar com outra medida, desta vez de apoio a grande parte da população.

O executivo angolano está a distribuir a cesta básica alimentar às famílias mais carenciadas enquanto durar o estado de emergência. Numa primeira fase são beneficiárias as famílias carenciadas da paróquia do Imaculado Coração de Maria, na arquidiocese de Luanda.

Neste projecto serão contempladas cerca de duas mil famílias das 22 paróquias da arquidiocese de Luanda e nos próximos dias a ajuda chegará as demais dioceses da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé, como fez saber o Secretario da Comissão Episcopal de Justiça e Paz da CEAST, padre Celestino Epalanga.

Por esta altura a fome esta a progredir de forma silenciosa, fundamentalmente no interior do país, sob a “sombra” do novo coronavirus, já que muitas famílias em Angola dependem dos mercados informais que em muitas localidades foram encerrados devido ao Estado de Emergência, que estabelece medidas que limitam a movimentação de pessoas, aglomerados de cidadãos e funcionamento de estabelecimentos comerciais.

No entanto, verificaram-se ao longo de toda a semana, sobretudo em Luanda, capital de Angola, alguns aglomerados, em particular junto de mercados, com muitos angolanos a queixarem-se de não ter alternativa senão continuar a sair para garantir a sua sobrevivência diária.

O Arcebispo de Malanje, D. Benedito Roberto reitera o apelo aos angolanos que têm dinheiro fora do país, a transferi-lo para os cofres do estado no sentido de reforçar as estratégias de combate à Covid-19.

Quem partilha da mesma opinião e a Madre Emiliana Bundo, Missionaria Franciscana Reparadora, a religiosa lança um repto aos que chama de “endinheirados angolanos”, a exercitarem a solidariedade na sua forma praticável.

Entretanto o número de infectados por coronavírus em Angola subiu de 17 para 19 casos, nas últimas horas, anunciaram as autoridades sanitárias, esta quarta-feira (08/04), na habitual actualização diária de dados.

De acordo com a ministra angolana da Saúde, a médica cardiologista Sílvia Lutucuta, os novos dois casos positivos anunciados esta quarta-feira dizem respeito a um homem e uma mulher, ambos angolanos, vindos de Portugal.

Com os dois novos casos, Angola passa a ter um total de 19 infectados, dos quais 15 activos, internados em hospitais luandenses, dois mortos e dois recuperados.

Oiça
09 abril 2020, 13:58