Busca

Vatican News
Fiéis devotos a Nossa Senhora no Santuário da Muxima, em Angola Fiéis devotos a Nossa Senhora no Santuário da Muxima, em Angola 

Bispos da CEAST estabelecem restrições nas celebrações devido ao Coronavirus

As Dioceses e Arquidioceses da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) estabeleceram restrições durante as celebrações eucarísticas devido ao Coronavirus (Covid–19).

Anastácio Sasembele – Luanda, Angola

Até ao momento Angola não registou nenhum caso positivo de Coronavirus e as autoridades governamentais, bem como a sociedade civil, igrejas, autoridades tradicionais, sector privado e outras instituições, desencadeiam iniciativas para a educação, sensibilização e prevenção junto das comunidades.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

Nesta terça-feira (17/03) a Comissão Interministerial para a Resposta à Pandemia do Coronavírus (Covid-19), coordenada pelo Ministério angolano da Saúde, decidiu alargar a quarentena obrigatória, de no mínimo 14 dias, para todos os cidadãos nacionais e estrangeiros residentes provenientes de Portugal, Espanha e França.

Medidas obrigatórias a partir de 18 de março

A decisão, saída de uma reunião de avaliação das medidas de prevenção e do Plano Nacional de Contingência para o controlo do Covid-19, começa a vigorar, com carácter obrigatório, a partir do dia 18 de março deste ano, visando conter a entrada do Coronavírus no país, tendo em conta a expansão rápida dessa pandemia nesses países, segundo uma nota de imprensa do Ministério da Saúde.

Com esta medida, aumenta para sete o número de países com entrada restrita em Angola, depois da China, Coreia do Sul, Itália e Irão.

Celebrações sem contacto físico e evitar aglomeração de pessoas

O Arcebispo de Luanda, D. Filomeno do Nascimento Vieira Dias, ordenou nesta terça-feira (17/03) que enquanto se mantiver a pandemia do Covid-19, as celebrações devem acontecer sem o contacto físico entre os cristãos, ou seja durante a saudação da paz se deve evitar dar as mãos ou abraços, e que a comunhão seja recebida preferencialmente na mão.

Evitar eventos públicos com a aglomeração de mais de 200 pessoas, respeitando-se as demais orientações das autoridades sanitárias também constam das medidas da Comissão Interministerial para a Resposta à Pandemia do Coronavírus (Covid-19).

Cumprir rigorosamente as medidas preventivas

O bispo da diocese do Dundo, D. Estanislau Chindecassi, apelou aos fiéis e a população em geral da província da Lunda Norte, a cumprirem rigorosamente com as medidas preventivas ao Coronavirus e encorajou as equipas de saúde a trabalharem com afinco nesta empreitada, já que a província da Lunda Norte partilha uma longa fronteira com a República Democrática do Congo, país que já registou um caso positivo.

Controlo reforçado de todas as fronteiras do País

A garantia da protecção das fronteiras do país, com base no Regulamento Sanitário Internacional, para um controlo reforçado a nível nacional da entrada de viajantes, pelos aeroportos, portos, terminais ferroviários e fronteiras terrestres estão igualmente entre as medidas impostas pelas autoridades.

Igreja tudo fará para levar informação às zonas mais recôndidas

O bispo da diocese de Benguela, D. António Francisco Jaca, desaconselhou o pânico e sublinhou que a igreja tudo fará para que a informação de prevenção chegue às zonas mais recônditas.  

Em caso de suspeita da doença, contactar o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), através do número 111.

18 março 2020, 11:46