Busca

Vatican News
2020.02.11 Presa di possesso del Direttore generale di CPLP, Armindo de Brito Fernandes Programma Portoghese Cerimónia de tomada de posse na sede da CPLP em Lisboa do Embaixador são-tomense Armindo de Brito Fernandes, novo director-geral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa 

CPLP: “JMJ irão reforçar amizade entre os jovens e o Vaticano

Entrevista à VATICAN NEWS do embaixador são-tomense Armindo de Brito Fernandes empossado em Lisboa como novo Diretor-geral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Domingos Pinto – Lisboa

“Mais de metade da população da CPLP tem menos de 25 anos, é uma população jovem. Por isso, eu estou e crer que essas jornadas irão reforçar, obviamente, os laços de amizade entre os jovens e o Vaticano”.

Declarações exclusivas ao portal da Santa Sé do embaixador são-tomense Armindo de Brito Fernandes, novo Diretor-geral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa que tomou posse 2ª feira, 10 de fevereiro, na sede da organização lusófona, em Lisboa.

“A CPLP respeita os princípios que são defendidos pelo Vaticano, e, obviamente, no que a nós diz respeito, estaríamos disponíveis para também ao nosso nível estreitar as nossas relações entre a CPLP e o Vaticano”, sublinha o diplomata que destaca “como positivo” no pontificado do Papa Francisco o apelo e atenção às “periferias”.

Já em relação ao mandato de três anos que agora inicia, Armindo de Brito Fernandes faz “suas” as prioridades da CPLP que passam por uma maior mobilidade e o aprofundamento da cooperação económica, preocupações também sublinhadas na cerimónia pelo secretário executivo da organização.

Francisco Ribeiro Teles assinalou os progressos já alcançados em termos de mobilidade dos cidadãos dos países dos Estados membros destacando "o trabalho notável" realizado por Cabo Verde durante a presidência da organização, e a necessidade de uma atuação "mais ativa e participativa nas questões económicas".

O diplomata português destacou ainda uma terceira prioridade aos desafios urgentes a que a CPLP tem de dar resposta: o estatuto dos observadores associados.

Neste contexto, o Secretário Executivo, que termina o mandato em dezembro, assinalou a necessidade de se encontrarem "novas modalidades de participação" desses países e organizações internacionais nos trabalhos da CPLP.

Embaixador do quadro da carreira diplomática de São Tomé e Príncipe, Armindo de Brito Fernandes exercia desde 2013 funções de coordenação e gestão no Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades de São Tomé e Príncipe, com responsabilidades na área do Fundo Europeu de Desenvolvimento.

Como diplomata, foi embaixador em Angola, encarregado de negócios na Bélgica e chefe da missão diplomática de São Tomé e Príncipe junto da União Europeia.

Oiça

 

 

11 fevereiro 2020, 14:21