Busca

Vatican News
Padre Luigi Maccalli, sequestrado no Níger em setembro de 2018 Padre Luigi Maccalli, sequestrado no Níger em setembro de 2018 

Burkina Faso-Níger: Bispos alertam para o risco de conflitos intercomunitários

Preocupados com a segurança, os prelados alertam contra o "risco de conflitos intercomunitários que poderiam explodir". Em Burkina Faso foram mortos três sacerdotes em 2019, enquanto ainda continua nas mãos dos seus sequestradores o padre Pierluigi Maccalli, raptado no Níger em setembro de 2018.

Cidade do Vaticano

A proximidade espiritual, moral e material do Papa Francisco foi a nota de abertura da Assembleia Plenária dos bispos de Burkina Faso e Níger, realizada de 13 a 17 de janeiro em Koupéla, na região centro-oriental. A saudação do Santo Padre – informa o comunicado final dos trabalhos - foi apresentada por Monssenhor Luca Caveada, encarregado de negócios da Nunciatura apostólica local.

Os riscos para a segurança nos dois Países

Em seguida, os Bispos apresentaram a situação dos respectivos Países, destacando "uma situação preocupante e inquietante" no que diz respeito à segurança e alertando para o "risco de conflitos intercomunitários que poderiam explodir". De facto, a tensão é alta nas duas nações, considerando que, juntamente com o Mali, são as mais afectadas pela violência de diferentes grupos: na verdade, apenas dez dias atrás, no posto militar avançado de Chinégodar, uma aldeia do Níger, foi perpetrado. um ataque jihadista que causou numerosos mortos. Este ataque ocorreu um mês após o do campo de Inates no mesmo sector, que causou 71 vítimas.

Também em Burkina Faso três sacerdotes foram mortos em 2019, enquanto ainda continua nas mãos dos seus raptores o padre Pierluigi Maccalli, da Sociedade das Missões Africanas, sequestrado no Níger, na missão de Bamoanga, na noite entre 17 e 18 de setembro de 2018.

O tema da formação ao sacerdócio

Durante a sessão plenária, em particular, foram ouvidos os relatórios dos reitores dos quatro seminários maiores da região, dos quais emergiu a exortação a “prestar uma atenção cada vez maior à formação, sobretudo em relação à vida espiritual, mas sem negligenciar o aspecto intelectual, humano e comunitário” dos futuros sacerdotes. A este propósito, os Bispos de Burkina Faso e Níger concordaram em aumentar o número das pessoas encarregadas de formar os seminaristas. Os trabalhos da Assembleia episcopal terminaram com a oração dos prelados pela região.

20 janeiro 2020, 11:57