Busca

Vatican News
Cátia Sá Guerreiro Albuquerque, Harambee África Portugal Cátia Sá Guerreiro Albuquerque, Harambee África Portugal 

“Ajudar África a ajudar-se”

Cerimónia de entrega do Prémio Internacional Harambee "Comunicar África" realizou-se na capital portuguesa.

Domingos Pinto – Lisboa

“Primeiro, «Ajudar África a ajudar-se», ou seja, angariar fundos que possam potenciar projetos feitos em África por africanos e para africanos, sempre na linha fundacional”, e “o  segundo grande desafio é «Comunicar África»”.

É desta forma que Cátia Sá Guerreiro Albuquerque, representante da Harambee Portugal, destaca à VATICAN NEWS os dois grandes objetivos da Harambee África Internacional que apresentou em Lisboa, 27 de novembro, o 8.º Prémio Internacional Comunicar África.

Oiça aqui a reportagem e partilhe

Um prémio que contemplou um documentário jornalístico da RTP África sobre a promoção da mulher santomense e um Vídeo-clips jovem sobre a realidade tribal do Ruanda, no caso uma comunidade que soube manter a paz entre etnias num contexto de conflito.

Financiar programas de educação

A Harambee é uma instituição internacional lançada informalmente em Roma em 2002, por iniciativa da comissão organizadora da canonização de São Josemaria Escrivá, fundador do Opus Dei, que lançou a ideia de um contributo mínimo de 5,00 euros para financiar programas de educação em África.

Desenvolvimento sustentável só se partir do coração africano

“O desenvolvimento só há de ser sustentável se partir do próprio coração africano”, diz Cátia Sá Guerreiro Albuquerque, que considera fundamental “capacitar estas pessoas na área da educação, na área da saúde, para que elas sejam depois motores do desenvolvimento no seu país”.

Potenciar a riqueza intelectual

Para a representante da Harambee Portugal, “este é o carisma da Harambee”, que procura “a satisfação das necessidades básicas para a sobrevivência das populações, das comunidades” e “potenciar a riqueza intelectual, riqueza do conhecimento, que possa depois contribuir para o desenvolvimento”.

Em 2009, nasceu o polo HARAMBEE PORTUGAL e em 2012 foi formalmente constituída a Associação HARAMBEE ÁFRICA PORTUGAL (HAP).

Durante os seus primeiros 16 anos de atividade, HARAMBEE apoiou 80 projetos em 22 países africanos, aplicando mais de dois milhões de euros.

28 novembro 2019, 11:44