Cerca

Vatican News
Mocímboa da Praia, norte de Cabo Delgado, Moçambique Mocímboa da Praia, norte de Cabo Delgado, Moçambique 

Moçambique: Presidente Nyusi chocado pelos ataques armados em Cabo Delgado

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, na véspera do fim do seu mandato de governação, manifesta a sua preocupação em relação aos ataques armados em Cabo Delgado, província situada no norte do país.

Hermínio José – Maputo, Moçambique

Os ataques armados em algumas aldeias de Cabo Delgado, que despontaram em finais de 2017, já resultaram em centenas de mortes, destruição de casas, bem como de estabelecimentos comerciais.

Oiça aqui a reportagem e partilhe:

O Chefe de Estado reafirmou que os distritos do norte de Cabo Delgado vivem um clima de terror perpetrado por indivíduos desconhecidos.

“A solidariedade deve começar dos moçambicanos”, Nyusi.

Filipe Nyusi refere que o Governo tudo tem estado a fazer para combater a onda de ataques naquela parcela do país e vinca que a par desses episódios, a solidariedade deve começar dos moçambicanos.

Grito de Socorro do povo de Cabo Delgado

Entretanto, a  Igreja juntamente com organizações da sociedade civil emitiram há dias, uma Declaração de Pemba, na qual dentre vários pontos abordados, a situação de violência  na região norte do país. Segundo o documento, o povo de Cabo Delgado precisa o mais urgente possível de uma intervenção para pôr fim ao sofrimento a que está votado, devido à onda de ataques armados em algumas comunidades daquela província nortenha de Moçambique.

Assassinatos bárbaros de centenas de pessoas

Na sequência destes ataques, o Bispo de Pemba, Dom Luiz Lisboa, lançou o grito de socorro do povo de Cabo Delgado, cujas residências foram incediadas, estabelecimentos saqueados, para além de assassinatos  bárbaros de centenas de pessoas.

De referir que os ataques armados em Cabo Delgado também constituem preocupação da comunidade internacional, tiveram início em outubro de 2017 e centenas de jovens, incluindo mulheres, já foram detidas e condenadas alegadamente pelo seu envolvimento na onda de violência em Cabo Delgado.

28 agosto 2019, 16:18