Busca

Vatican News
Igrejas e sociedade civil em Moçambique debatem sobre a paz Igrejas e sociedade civil em Moçambique debatem sobre a paz  (AFP or licensors)

Moçambique: Igreja e políticos reflectem sobre a paz

Representantes das confissões relgiosas juntaram-se nesta sexta-feira (21) para uma reflexão conjunta em torno da consolidação da paz efectivida e duradoira no País.

Hermínio José – Maputo, Moçambique

Os organizadores da Conferência sobre a Paz, fazem um balanço positivo do evento, a avaliar pelo maior nível de participação. Segundo Arlindo Gomes, na reflexão sobre a paz, falou-se dos desafios que Moçambique tem no tocante à manutenção da paz efectiva no País.

O povo precisa da paz

A Presidente da Assembleia da República, Verónica Macamo, disse que o País vive actualmente um momento de paz, pelo que é dever de todos, tudo fazer para a preservação deste bem precioso, a paz.

"A Paz é um bem comum”  

Por seu turno, o Pe. George Ferreti, presente no evento, afirma que a celebração da paz é sinónimo de alegria para os moçambicanos.

Instabilidade e ataques armados no norte do País

De recordar que o Presidente da República, Filipe Nyusi, aquando da sua comunicação sobre o estado geral da Nação, vincou que a instabilidade política, caracterizada por ataques armados em algumas regiões do norte de Moçambique, trouxe dor e luto às famílias moçambicanas.

Refira-se que o Acordo Geral de Paz foi assinado em Roma, a 4 de outubro de  1992, e os principais signatários foram o antigo Presidente da República Joaquim Chissano e Afonso Dhlakama, o falecido líder da Renamo, o maior partido da oposição em Moçambique.

Oiça aqui a reportagem e partilhe:

 

22 junho 2019, 08:19